Skip to main content
Linguagens de programação para aprender

5 Linguagens de Programação para aprender em 2017

Enfim, 2017 chegou! Não há momento melhor para começar a estudar uma nova linguagem de programação ou voltar àquela que deixamos de lado nos últimos anos. Com o reaquecimento da economia no país, a tendência é que novas posições surjam no mercado e, cada vez mais, apenas profissionais com stacks bastante completas e atualizadas sejam selecionados ou promovidos.

Mas uma pergunta ainda fica: e agora, qual tecnologia escolher?

Fizemos uma lista das linguagens de programação que já são tendências no mercado de desenvolvimento para auxiliar a sua escolha. Vem com a gente que nós ajudamos você a decidir.

Javascript

É claro que Javascript estaria no topo da lista. Aliás, não apenas desta, mas também em 7 Tecnologias mais buscadas em profissionais de TI pelas empresas. Praticamente uma unanimidade no mundo web, a linguagem é usada por boa parte das companhias líderes do segmento, graças à sua leveza e flexibilidade.

No entanto, ela nunca foi uma unanimidade no quesito facilidade de aprendizado, até por sua escalabilidade em diversos tipos de problemas, o que acarreta em um estudo contínuo com tantos frameworks e ferramentas. Node.JS, Angular, CoffeeScript, TypeScript… elas não param de aparecer a fim de facilitar nossas vidas em várias situações, mas também significa uma atualização frequente de conhecimento de modo a sabermos quando e como utilizá-las.

Além disso, o Javascript segue tendências com rapidez. Não é à toa que assuntos fortes nos últimos anos, como realidade virtual ou animações destinadas à web, já possuem bibliotecas específicas para o desenvolvimento. O WebVR e o Create.JS são ótimos exemplos de como colocar todas essas novidades em seu navegador.

Essa popularidade contribui também com a criação de uma comunidade forte e antenada. É bastante simples achar cursos, tutoriais e dicas depois de uma pesquisa simples, além de entrar em fóruns e bate-papos separados pelos mais diversos temas, frameworks e objetivos. E o melhor: de graça.

C#

Quando vamos aprender nossa primeira linguagem, geralmente ficamos em dúvida entre C# e Java, pela semelhança entre as duas, não é mesmo? No entanto, Java normalmente acaba como vencedora pelo seu aspecto gratuito e open source, além de ser frequentemente demandada pelo mercado de trabalho.

Porém, a Microsoft tem lutado nos últimos anos para virar esse jogo e fortalecer linguagem e plataforma de desenvolvimento. Hoje, já encontramos servidores Linux e Mac rodando .NET, e o C# (assim como o JavaScript) ganhou bastante força por conta do desenvolvimento independente de jogos com o uso do motor Unity3D, que utiliza o ambiente MonoDevelop.

Por fim, a compra do Xamarin pela MS no ano passado abriu definitivamente a porta de acesso aos dispositivos Android e iOS. Todo esse potencial de crescimento deve fortalecer ainda mais o C# em 2017.


Ficou interessado e quer começar a aprender logo? A Microsoft disponibiliza diversos cursos gratuitos na sua página de ensino. A melhor parte é que estes são divididos por nível de aprendizado e contribuem bastante para dar início a uma certificação.

Swift

Se tem alguém que pode estar à procura de novos ares neste ano, este é o desenvolvedor de Objective-C. A linguagem tem sido substituída pela Apple com o intuito de promover a chegada da Swift, que, segundo Craig Federighi, vice-presidente sênior da corporação, será “a linguagem que usaremos pelos próximos 20 anos”. Além disso, a chegada dos seus novos dispositivos (iPhone 7 e 7S, Apple Watch 2) deve fazer o mercado de aplicativos no iOS esquentar novamente.

Essa substituição não é à toa: a Swift foi criada com o intuito de ser melhor e mais popular que a anterior, sendo mais rápida, fácil de aprender, segura e open source. Ela está tão em alta que até o Google cogita programar o Android com a Swift. Algo que faz a concorrência das duas gigantes ser deixada de lado por um bem maior deve mesmo ser considerado, não é verdade?

O incentivo da Apple em promover a Swift estende-se também a facilitar o acesso ao conhecimento. Tendo isso em conta, a companhia oferece um curso simples na sua página e o site Swift.org conta com muita coisa legal, podendo transformar você em uma fera do código rapidinho.

Python

Python, sem dúvidas, é uma linguagem bem divertida e interessante para se começar a estudar. É simples e de fácil entendimento por priorizar a legibilidade do código, porém sua biblioteca é extremamente robusta.

Graças a isso, sua aplicação consegue considerável destaque nas mais diversas áreas da tecnologia da informação. Encontramos Python em aplicações web, assim como é frequentemente vista em inteligência artificial e computação científica, até por agregar perfeitamente bem o paradigma funcional. Empresas como Google, Yahoo! e NASA são apenas algumas das diversas a usufruírem da linguagem.

Uma ótima dica para iniciar na linguagem está no nosso texto sobre Passos para iniciar sua carreira de desenvolvedor na linguagem Python. Lá, encontramos muita informação legal com exercícios e outras sugestões práticas. Vale a pena dar uma olhada.

Rust

Rust pode ainda não ter a mesma fama do Java ou C#, mas certamente tem ganhado adeptos numa velocidade absurda nos últimos anos por uma simples característica: é uma linguagem que promete ser a substituta do C e C++, conhecidas por seu alto poder computacional e suas aplicações em baixo nível.

Um dos grandes destaques da linguagem é o seu gerenciamento de memória manual, que permite ao desenvolvedor controlar a alocação da memória. Contudo, ela torna o trabalho mais fácil que o C, por exemplo, graças à liberação direta da memória – quem programa em C sabe o problema que é esquecer de inicializar ou dar um free.

Rust é mantida pelo Mozilla Foundation, que possui um acordo com a gigante Samsung no desenvolvimento do browser Servo. A fim de se aprofundar mais ou começar do zero, a fundação possui um site que apresenta todos os fundamentos, com vídeos e um livro online completinho. Além dele, outra dica é o RustbyExample.com, para aprender tudo na prática.

 

Infelizmente, muitas outras linguagens poderiam facilmente ingressar nessa lista. Tantas delas são incríveis ou estão ressurgindo, sem dúvidas. No entanto, essas são as que provavelmente terão maior crescimento e certamente chamarão muita atenção neste ano, seja no mercado ou na área científica.

Nós já temos algumas ideias das respostas, mas digam-nos: quais linguagens entrariam na sua lista e quais sairiam? E por que Java?

banner-candidato

Veja também

Comentários

comentários

Cancelar