5 sinais de que feedbacks estão prejudicando a sua equipe

Mariana não poderia estar mais feliz, afinal de contas todos perceberam e aplaudiram o trabalho coordenado por ela no recrutamento e seleção dos novos integrantes da empresa. Ela e seus companheiros de RH tiveram resultados incríveis com os processos de onboarding em cada setor e os novos funcionários estavam, em pouco tempo, completamente integrados aos seus times e rendendo muito além das expectativas.

Para a surpresa de todos, com o passar dos meses, o rendimento de vários contratados caiu pela metade. Poucos participavam dos happy hours de quarta-feira e já se ouviam boatos sobre dois ou três procurando um novo emprego. Mariana não conseguia ligar os pontos: se tudo foi tão perfeito no começo, de onde veio tamanha insatisfação?

O poder de um feedback incorreto

Mariana não está sozinha. Na realidade, diversos gerentes questionam a queda de produtividade de colaboradores antes excepcionais. Não há dúvidas que inúmeros motivos podem levar a esse temido resultado, mas um certamente figura como grande vilão do bom rendimento: a entrega ineficaz de feedback.

A má formulação, incoerência ou ausência de feedbacks tem efeitos avassaladores sobre o time e sobre o crescimento da empresa. Questões complexas como senso de pertencimento, auto estima e engajamento são fragilizadas e o tempo necessário na tentativa de reincorporar essas pessoas desmotivadas à sua rotina gera custos dolorosos para a empresa, tanto econômicos como sociais.

Assim, prestar atenção aos principais sinais que os funcionários apresentam ao receber feedbacks mal elaborados de seus supervisores e colegas é o primeiro passo para evitar danos ainda maiores no futuro.

1. Queda na Produtividade e Qualidade

Talvez este seja o mais óbvio dos sinais, mas também o de maior repercussão dentro do ambiente de trabalho. Não é incomum que pessoas de alto desempenho sejam deixadas de lado por não demandarem feedback corretivo e, por consequência, acabem não recebendo retorno algum.

A ausência de reconhecimento por meio de feedbacks positivos mina a confiança do funcionário, que não faz ideia de quão positiva era sua participação. O pacote de desmotivação não demora a chegar recheado de insatisfação e queda no volume e na qualidade das entregas.

Feedbacks negativos ou ofensivos são ainda mais agressivos à produtividade e qualidade, em especial se repassados em frente ao restante do time. É evidente que ninguém gosta de ter seu trabalho criticado, mas é a forma com que a crítica é realizada que definirá se as consequências dela serão positivas ou negativas para a equipe.

Se pessoas deixaram de produzir na mesma proporção ou passaram a fazer entregas mal acabadas, é hora de ligar o alerta vermelho.

2. Dificuldade de Relacionamento

Pessoas sob pressão contínua ou que recebem pouco volume de feedback no trabalho têm diversos aspectos da sua vida pessoal afetados: a insegurança dispara, a auto estima cai em queda livre e o senso de pertencimento evapora, fazendo com que até a mais extrovertida das funcionárias prefira sair sozinha para almoçar.

Dentro de uma equipe, o clima entre os colegas de trabalho é extremamente interdependente e a presença de um único integrante desmotivado é o suficiente para deflagrar uma série de queixas e insatisfações, comprometendo o equilíbrio de toda a organização.

Entender as emoções e cultivar sentimentos positivos nos colaboradores é tão importante que a frequência das gargalhadas no escritório parece ser uma métrica relevante na hora de avaliar a eficácia de alguns feedbacks.

3. Ausência de proatividade

Funcionários que tomam as rédeas de projetos e que dão a cara a tapa precisam de uma base emocional extremamente sólida, especialmente no que diz respeito a autoconfiança e capacidade de se expor. Apesar de algumas pessoas terem esse senso de liderança extremamente apurado, nem mesmo elas são capazes de deixá-lo florescer em um ambiente no qual erros são exaltados e acertos parecem insignificantes.

Nessas situações, a tendência é que os funcionários passem a executar mais do que criar, se tornando passivos frente aos desafios, mesmo que inconscientemente, devido à iminência de repressão ou ameaça após qualquer deslize.

Perfis que apresentaram comportamentos de liderança e gerenciamento no início e que gradativamente diminuem sua presença como mentores podem sinalizar a falta de cuidado na construção da cultura de feedback.

4. Linguagem corporal

Não é necessário nenhum especialista para saber que ombros caídos, braços cruzados e voz trêmula não são indicadores de uma pessoa segura e cheia de si. Um dos sinais mais fáceis de se perceber, a linguagem corporal das pessoas diz muito sobre a forma com que o ambiente a faz se sentir e como ela enxerga os demais à sua volta.

Quando alguém evita contato visual e se coloca de maneira defensiva no cotidiano, por exemplo, há grandes chances de essa pessoa estar se sentindo desencorajada no ambiente de trabalho, e de seu aviso prévio estar batendo à porta.

5. Aumento do turnover

É claro que existem inúmeras razões para o aumento do turnover, mas é imprescindível que se considere a cultura de feedback nesta lista. Visível nos últimos quatro itens, a má formulação de feedbacks tem impactos muito intensos na forma com que funcionários pensam e agem na empresa, o que leva, em muitos casos, à demissão voluntária.

Um alto turnover disfuncional, ou seja, muitos pedidos de demissão de funcionários de alto desempenho, está intimamente ligado com a insatisfação e relação interpessoal destes no ambiente de trabalho e gera custos altíssimos para a organização. Não monitorar as políticas de feedback em todos os setores é o primeiro passo para a perda dos seus grandes talentos.

 

Trabalhar com feedbacks positivos e corretivos concisos; conversar na hora certa e em particular; focar puramente em comportamentos pontuais e não fazer suposições: estas são algumas das melhores práticas para feedbacks eficientes e que trarão resultados positivos.

Cada indivíduo reage de uma maneira particular e não há receita universal, porém estar atento aos principais sinais que surgem após o recebimento de feedbacks contraproducentes é o caminho mais curto para a identificação do problema e início da estruturação de uma comunicação mais saudável dentro das suas equipes.

E você, já vivenciou problemas por conta de feedbacks ruins? Quais são suas dicas? Nos conte mais sobre sua experiência em um comentário!

Contrate os Melhores desenvolvedores na GeekHunter

João Henrique Faller Moura

João Henrique Faller Moura

Customer Success Manager em GeekHunter
Gerente de Customer Success e entusiasta de Recursos Humanos
João Henrique Faller Moura

Últimos posts por João Henrique Faller Moura (exibir todos)

Comentários