Principais fontes de informação de um desenvolvedor

As principais fontes de informação que um programador deve conhecer

Sabe aqueles momentos em que estamos à toda para iniciar os estudos naquela tecnologia bacana que acabou de sair? E quando precisamos atualizar nossos conhecimentos em uma linguagem cheia de bibliotecas e frameworks?

Com tanta informação na web, fica até difícil de começar, mas calma! Sente, relaxe e confira nossas dicas de ótimas fontes de informação para você mergulhar de vez no aprendizado.

Seu Inglês está bom?

Antes de iniciar, é bom avaliar seu nível de inglês. Devido ao fato de que uma grande porcentagem das tecnologias vem nesse idioma, isso pode se tornar um empecilho considerável ao começar a conhecer, especialmente, uma novidade do mercado. Ainda tem as falhas de traduções em livros, a exigência da língua em boa parte das certificações, a possibilidade de trabalho colaborativo com um gringo…

Mas pera aí, sem pânico! Estamos aqui para aprender a aprender novas tecnologias, certo? Algumas das sugestões a seguir são sim em inglês, mas procuramos focar naquilo de melhor que o nosso Brasilzão tem a oferecer nesse ramo.

Cursos, muitos cursos

Chega de lenga-lenga: vamos estudar! Atualmente, existe uma enxurrada de aulas dentro e fora da internet. O ensino em TI não apenas custa, mas ganha rios de dinheiro por ser uma área requisitada, especializada e incrivelmente abrangente. A boa notícia é que a internet é um ótimo espaço para eles, pois não necessitam de estrutura física para sairmos de casa.

Caso ainda não tenha certeza de qual tecnologia vai aprender ou se a escolhida é realmente a ideal para sua necessidade, a primeira opção é ir em busca de sua documentação, geralmente disponibilizada pelas organizações responsáveis ou de plataformas que a utiliza. Dar uma olhada na documentação oficial costuma tirar dúvidas importantes, como se uma linguagem é fácil de compreender ou é escalável, ou se a metodologia Z vai encaixar bem naquele projeto ambicioso da empresa.

Se, ainda assim, persistir a dúvida, você também pode dar um bizu em nosso outro conteúdo –  5 Linguagens de Programação para aprender em 2017 – e tirar uns insights legais que vão te ajudar nessa tomada de decisão.

Então, chegamos aos “finalmentes”: teoria e prática. Nossa primeira sugestão fica com os chamados Cursos Online Abertos e Massivos – do inglês Massive Online Open Courses (MOOCs) -, ofertados por plataformas de e-learning. Eles são gratuitos e normalmente não exigem pré-requisitos, porém não oferecem certificados de conclusão sem custos.

Uma de suas principais características é a versatilidade. De programação em Java a machine learning, é possível conhecer de tudo sobre essa e outras áreas, tipo música ou economia. Além disso, alguns deles integram currículos de grandes faculdades do mundo. É como se estivéssemos nas salas de aula de Harvard, Princeton, UNICAMP ou PUC.

Tem pago, tem gratuito, tem de tudo!

Há diversos e excelentes exemplos de MOOCs espalhados pela web, como o Coursera, Udacity, EdX, Udemy e Veduca. Embora grande parte deles seja americano, todos possuem, no mínimo, suporte ao português, geralmente com legendas. O Udacity conta também com um programa intitulado Nanodegree, que, em parcerias com grandes empresas (Google, Amazon e IBM são exemplos), oferta cursos completos de certificações em alta no mercado. No entanto, eles não são baratos: as mensalidades podem chegar a quase 400 reais!

Se o problema não é grana, há sempre a opção de assinar o conteúdo de sites como DevMedia, Alura, Lynda.com e Treehouse. Com mensalidades razoáveis e uma infinidade de aulas e artigos especializados, eles são um investimento interessante para essa área que exige frequente atualização de conhecimento.

Agora, se seu bolso está vazio e um diplominha seria um plus naquele emprego que você almeja, vale a pena conferir o Brasil Mais TI e a Fundação Bradesco. Ambos têm grandes pedidas para quem está começando, seja em programação, infraestrutura ou governança, e ainda emitem um certificado de conclusão.

Por fim, caso a correria esteja instaurada em seu dia-a-dia e, assim, ficar complicado de milhões de vídeos, é bom dar uma olhada nos sites Codecademy, CodeSchool e Programmr. Eles possuem, além de guias, tutoriais e fóruns de discussão, um ambiente capaz de interpretar seus códigos, sem que seja necessário instalar ou configurar qualquer programa. Sem contar que o Programmr realiza desafios e competições valendo dinheiro. Já imaginou ganhar uma grana no meio do aprendizado?

Estudantes, uni-vos!

Esteja certo: você não está sozinho em seus estudos, e isso é ótimo! Milhares de pessoas estão neste exato momento atrás de tutoriais, ferramentas e todo tipo de informações a fim de avançar em seu conhecimento. Uma boa porcentagem delas recorre a fóruns, redes sociais e comunidades para ver dicas, resolver problemas e até formar grupos de estudo online. Basta uma pergunta no seu buscador favorito e todo esse mundo se abre diante de seus olhos.

Para tantos, o grande tirador de dúvidas (além do Google) tem nome: StackOverflow. Esta página é uma mão na roda na hora de procurar ou perguntar sobre aquele problema que ninguém da turma consegue resolver há dias. Ele funciona similar a uma lista simples de discussão, porém conta com um sistema que deixa a melhor resposta sempre visível logo abaixo da pergunta, uma ajuda e tanto quando precisamos resolver um problema urgente. Além disso, sua pesquisa por tags facilita bastante aquela busca mais complicada. Ah, e existe uma versão do site em português 😉

Outras duas enormes comunidades são as redes Reddit e Quora. Ambas possuem um sistema similar de votação, e são lugares onde se debate sobre absolutamente qualquer coisa. Por esse motivo, pode ser complicado encontrar respostas, porém é um ótimo ponto de encontro para desenvolvedores se conhecerem e tentarem ajudar uns aos outros. Além disso, sua popularidade é bem maior em outros países, logo um número considerável de suas discussões é em inglês. Contudo, a gente encontra brasileiro em qualquer lugar e muitos já conversam sobre os mais diversos assuntos por elas.

Ferramentas, guias e tutoriais

Vários outros recursos estão a apenas um clique de distância, desde aplicativos de ensino a ferramentas de produtividade. São tantas que separamos nossos destaques para você dar uma olhada:

YouTube: nem só de virais e Minecraft vive o YouTube – aliás, bem longe disso. Na plataforma de vídeos online mais famosa do mundo, há uma comunidade ativa que contribui com todo tipo de assuntos de TI. Além de vários canais de empresas e plataformas, vale destacar os excelentes Código Fonte TV, Curso em Vídeo, Playcode, Derek Banas,  eXcript, The New Boston e O’Reilly.

W3Schools: Repleto de tutoriais e explicações sobre HTML, CSS, JavaScript e XML, ele será seu confiável guia em todos os momentos da construção de uma página web, com direito a exemplos e uma área em que é possível alterar e testar o código, permitindo entender interativamente qual a melhor forma de fazer;

SoloLearn: que tal diversos cursos e tutoriais gratuitos onde quiser, ao alcance do seu celular? Essa é a proposta do SoloLearn, que tenta democratizar o acesso a esse conhecimento, com direitos a joguinhos de perguntas e respostas com a intenção de ajudar tanta informação a entrar na cabeça;

Status: Atualizando

É bom não se enganar: aprender não é apenas estudar. Manter-se continuamente atualizado é extremamente importante em um cenário altamente mutável como o de nossa área. Assim, manter o hábito de ler revistas, blogs e outros periódicos vai contribuir com seu crescimento, mesmo sem sentir.

E olha, boas fontes de notícias não faltam, viu? Muitas delas já são bem conhecidas e já fazem parte do nosso cotidiano, como a Revista INFO, TecMundo, CanalTech, Olhar Digital, Computer World e The Verge, mas outras menos famosas também fazem um grande papel na difícil arte de informar. PTI, InfoWester, Arena 4G e Understech são boas opções e já despontam como favoritas de inúmeros leitores e espectadores, visto que praticamente todas elas também contam com canais no YouTube.

O que está esperando? Hora de estudar!

Depois de vermos tanta coisa legal, não tem desculpa! Hora de enfiar a cara nos livros, mesmo que digitais, até virar aquela fera do código, mas sem esquecer de contribuir com a comunidade.

Encontrou alguma ferramenta que não listamos? Diga pra gente! É bem mais divertido quando aprendemos juntos.

Entre para a elite de desenvolvedores

Veja também

Comentários

Um comentário em “As principais fontes de informação que um programador deve conhecer

Comentários desabilitados.