Como contratar os melhores desenvolvedores sem ser um

Se programação não faz parte de seu dia a dia, nada mais natural do que ter dificuldade em identificar o que deve priorizar tecnicamente para contratar os melhores desenvolvedores.

Os candidatos podem dizer que têm habilidade em Ruby, C++ ou Python , mas alguém que não sabe quase nada sobre codar, como é que faz para conferir?

Para ajudar quem recruta em TI, reunimos sugestões que vão dar um bom caminho para driblar a falta de conhecimentos mais específicos sobre determinadas posições.

E já adiantamos uma dica, que antecede todas as outras que você verá no post: contratar não é responsabilidade só do RH, como muitos pensam – inclusive alguns gestores.. Profissionais como a consultora Juliana Barbosa e Oliveira não perdem a oportunidade de destacar isso.

Seja qual for a área de sua atuação, esse é um desafio que não deve recair só nos ombros do recrutador ou do departamento de RH. O gestor do setor, que é “dono” da vaga, tem participação importante na condução do processo.

Sucesso mesmo só a quatro mãos.

Dito isso, vamos a alguns pontos que podem facilitar a sua vida.  

Dicas sobre como contratar os melhores desenvolvedores sem ser um

1. Converse com bons desenvolvedores

Se você não tem um background em programação e nem conta com um gestor de área entendido no assunto, tente encontrar quem conheça.

Informe-se sobre perguntas interessantes para fazer na entrevista e pontos específicos que deve mapear.

Isso já dá uma base melhor para encarar a primeira fase de entrevistas. Mas não abra mão, de jeito nenhum, de ter um programador por perto. Chame um consultor, se for o caso. Não faz o menor sentido puxar para si a decisão de contratar, se você está às escuras.

Perguntas que não podem faltar:

Separamos algumas perguntas que devem fazer parte dos estágios iniciais do processo de contratação de programadores:

Me conte um pouco sobre um projeto recente no qual você esteve trabalhando.

Essa pergunta vai ajudar a conhecer a paixão e dedicação do candidato pelo que faz e o que o motiva verdadeiramente em um trabalho.

Quais são os seus outros compromissos com horário fixo?

Você vai ter noção se a pessoa tem tempo suficiente para se dedicar, de acordo com o tamanho e complexidade do seu projeto.

Você se considera um desenvolvedor, um product manager ou ambos?

É claro que o ideal seria o candidato dizer: “os 2”, mas a gente tem falado aqui que a busca do candidato perfeito pode deixar escapar muitos bons candidatos. A pergunta serve para avaliar também as forças e as fraquezas de cada candidato comparado ao time que você já tem ou está planejando criar.

Como você lideraria um time de programadores?

Essa questão vai ajudar a avaliar o estilo e as habilidades de liderança do candidato.

Fale de suas expectativas.

Questões como a extensão do projeto e metas são coisas importantes a se deixar claro para os candidatos. Da mesma forma você está avaliando se o candidato se ajustaria à sua empresa, eles estão avaliando como a sua empresa se ajustaria a eles.

2-  Encontre desenvolvedores nos seus habitats naturais

Programadores experientes, que têm empresas como a Microsoft ou a Google no seu currículo, não vão simplesmente cair do céu. As maiores chances são de profissionais como esses serem disputados à tapa ou montarem seu próprio negócio. Você não pode perder a chance de fazer contato com eles nos seus habitats naturais. Listamos alguns:

Hackathons

Um Hackathon é um evento onde programadores e desenvolvedores de software se reúnem para o desenvolvimento de um software novo – entre outras atividades geek. A maratona pode chegar a durar semanas. Alguns Hackathons são só educativos ou sociais, mas ainda assim fornecem uma ótima fonte de desenvolvedores de talento. Muitos hackathons possuem focos específicos, e você deveria mirar naqueles que são relevantes para o seu produto.

Plataformas de hospedagem de código-fonte

Sites como o GitHub oferecem um repositório online de códigos onde programadores podem contribuir em projetos privados, baixando o conteúdo e fazendo mudanças no código-fonte.

Em outras palavras: programadores postam os seus projetos para buscar a contribuição de outros. Você pode aproveitar para dar uma olhada nas amostras do código de um candidato antes de entrar em contato com ele. Lembre-se de acionar um amigo ou aquele consultor que vai acompanhá-lo no trabalho.

Conferências e Meetups

Fique de olho nas conferências de desenvolvimento de software possível – aquelas que forem relevantes para o seu projeto. Cheque a programação online e tente entrar em contato com alguns palestrantes, que podem recomendar talentos.

Existem ainda encontros menores, chamados meetups, onde influenciadores e bons desenvolvedores se reúnem para troca de conhecimento e networking. Esse é um bom lugar para encontrar bons programadores!

Encontre meetups próximos de você ou crie um meetup para se aproximar da ainda mais da comunidade.

Blogs

Muitos programadores têm o seu próprio blog pessoal ou foram mencionados em blogs de outros programadores. Isso pode ser uma ótima fonte de candidatos com potencial, e ainda permite que você aprenda sobre o candidato antes mesmo de entrar em contato com ele. Você será capaz de avaliar suas habilidades técnicas e a capacidade de resolução de problemas, escrita e comunicação – tudo em um lugar.

3. Explore plataformas de recrutamento

Você pode cortar caminho, e optar por plataformas de recrutamento, como a GeekHunter, que reúne e disponibiliza acesso a desenvolvedores pré-selecionados. A empresa inverte o modelo tradicional de recrutamento: ao invés de desenvolvedores se candidatarem a empregos, as empresas têm acesso a um grupo de profissionais engajados, tecnicamente qualificados e prontos para receberem convites de entrevistas. Esse tipo de plataforma está ganhando cada vez mais adeptos, por facilitar muito a vida dos recrutadores da área de TI

4. Não contrate sem testar

É uma coisa óbvia, mas não é que tem muita gente que decide levar adiante o processo seletivo sem avaliar a qualidade do código do candidato? Geralmente, submeter o seu candidato a testes pode deixar o processo consideravelmente mais longo. Teste um novo desenvolvedor com um projeto mais simples, mas que permita vê-lo em ação, conferir a qualidade de entrega e do código.  

Resumindo:

  • Informar-se: leia blogs de devs, confira os fóruns de discussão e sites como o Github, que são repositórios de projetos;
  • Networking: frequentar eventos ligados à área de programação; contar com ajuda de quem entende do assunto para a tomada de decisão;
  • Testar: aplicar testes técnicos, de lógica e perfil comportamental;
  • Usar tecnologia: considerar o uso de tecnologia para facilitar o processo seletivo – como as plataformas de recrutamento.

Mas, para arrematar,  tenha em mente que o fit do candidato em relação à empresa deve vir em primeiro lugar. Só depois se preocupe com a experiência. E não escolha um desenvolvedor por uma skill em especial, e sim pela disposição para o aprendizado constante. Porque em tecnologia tudo muda o tempo todo!

 

E, você, que dicas incluiria para facilitar a contratação de um bom desenvolvedor?

Veja também

Comentários

comentários