Skip to main content
Developer Java

Como encontrar e contratar programadores JAVA

As últimas duas décadas viraram de ponta-cabeça o mercado de TI. Programar deixou de ser habilidade rara como um mico-leão-dourado e passou a ser protagonizar um número maior de portfólios, mas isso não significa que os profissionais diferenciados tenham se multiplicado na mesma velocidade.

O mercado procura desesperadamente por programadores preparados técnica e emocionalmente para encarar o ambiente cada vez mais complexo do ecossistema de TI.

Desenvolvedores: O que são? O que fazem? Onde habitam?

A dificuldade de encontrar desenvolvedores sempre dá muito pano para manga entre o pessoal de RH, além de render muitos memes e piadinhas (infames,ok). Tanto que, na tentativa de botar ordem no terreiro, tem até lista com dicas para você desconfiar dos profissionais que apelarem para alguns lugares-comuns, como esta que o dev e youtuber Filipe Deschamps, que perde o amigo (desenvolvedor), mas não perde a piada, preparou e a gente reproduz:

  1. Pessoas que não entendem o código que eu escrevi não servem para trabalhar comigo.
  2. Se eu trabalhasse sozinho seria mais rápido.
  3. Nenhum design pattern serve para o problema que quero solucionar, ele é único, preciso criar uma solução exclusiva, pois vai se encaixar muito melhor com as necessidades.
  4. Fico motivado quando meu código faz truques e magias.
  5. Fico entediado quando o assunto é respeitar regras, patterns, boa arquitetura, documentação, testes e disciplina.
  6. O código das outras pessoas é sempre ruim, mas o meu não, ele é perfeito.
  7. Por ser perfeito, eu nem preciso testar ele direito, pois eu já rodei todos os cenários na minha cabeça.
  8. Por ser perfeito, se ele quebrar pelo fato de receber dados inesperados, é culpa do usuário por fazer o input errado.
  9. Eu não tenho o que aprender lendo código de outros desenvolvedores. Não preciso mais estudar coisas novas sobre programação.
  10. Na minha máquina funciona.

E antes que os desenvolvedores façam um levante e digam que isso é puro estereótipo, ter disposição para trollar a si mesmo é um talento cada vez mais necessário nos dias de hoje – inclusive (ou principalmente?) no mercado de trabalho!

I'm programmer

Aberta a temporada de caça

Daí, você precisa construir ou ampliar um projeto na web. A solução para o seu problema chama-se desenvolvedor. E por que será tão difícil encontrar um? Ora, bolas. Estamos em 2017. Você e toda a torcida do Flamengo estão à procura de um bom dev.

Especialistas dizem que um dos critérios mais difíceis para o hunting dessa espécie tão valorizada é encontrar alguém que seja confiável sob o ponto de vista a entrega – porque normalmente quem seleciona não entende muito do assunto, e comete pecados.

Além de codar, o candidato tem que saber se comunicar bem, entender as necessidades do cliente, defender as melhores opções para o projeto, ter alta capacidade de adaptação e ainda saber trabalhar com prazos e budgets apertados.

Falando assim, dá para entender a dificuldade, não? Em português claro, programar é a arte de resolver pepinos. E pior: não apenas os que existem, mas também prever eventuais. Sempre que um dev faz algo novo, um app por exemplo, é fundamental imaginar o que pode dar errado lá na frente e antecipar soluções – que muitas vezes nem serão usadas!

Só recruta bem quem sabe o que procura

Minuto enciclopédia: Java é uma linguagem que permite criar um programa uma única vez e depois executá-lo em qualquer plataforma. Todo computador que não tem Java limita bastante a experiência do usuário, já que é a linguagem mais utilizada no mundo e, mais do que isso, é uma verdadeira máquina virtual.

Escrever um bom código é apenas um dos desafios para seleção de um dev, como citamos de forma resumida anteriormente e mostramos no post “Preparado para atrair o candidato ideal para o seu time de desenvolvimento?” Abrimos para você agora quatro pontos extras – e valiosos – que devem ser observados na contratação de desenvolvedores Java, além do perfil técnico propriamente dito. O candidato ideal deve ter:

1- Jogo de cintura: adaptabilidade técnica é essencial. É preciso ter capacidade de sempre incluir novas habilidades ao currículo, diante de um cenário em constante evolução, como o da TI. O candidato tem que estar disposto a aprender. Assim, mesmo que o dev não tenha determinada skill, fica a certeza de que fará tudo para aprender rápido.

2-  Capacidade de se comunicar e senso colaborativo: foi-se o tempo em que codar era uma atividade solitária ou que envolvia um pequeno grupo. Hoje, ela se dá de forma colaborativa, muitas vezes com times que trabalham juntos remotamente, por isso, saber se comunicar e trabalhar em equipe subiu bastante no ranking das habilidades.

3- Inteligência emocional: programar pode levar à exaustão – que o digam os que já viraram madrugadas por conta de viradas de versão. Tem que saber segurar a onda, não agir no impulso, mesmo quando o estresse chega a níveis altíssimos.

4- Noções de design: não é preciso ter formação na área, mas ter noções básicas ajuda muito no desenvolvimento de layouts e em UX, fazendo com que o desenvolvedor possa trabalhar mais em conjunto com outra áreas, como a de marketing.

Tu codas, ele coda, eu… seleciono

Tem muito recrutador passando aperto na hora de contratar por absoluto desconhecimento sobre a área. Schaz Amin, especialista em customer acquisition, é um dos que confessam que se ressentem de não entender melhor de programação e, por isso,  fez escolhas erradas.

Disse que cansou de comprar gato por lebre:  pagou por candidato fantástico e levou um funcionário sem a menor capacidade de entrega. E ele sempre se culpou por isso. Até que a história se repetiu uma, duas, três vezes. Alto lá! Certamente, havia alguma coisa errada também do lado de lá, com o candidato. Ele chama a atenção para dois pontos.

Peça ajuda a quem entende do assunto. Veja entre amigos quem conhece um recrutador experiente na seleção de programadores. Divida as suas dúvidas. Certamente, ele vai sinalizar pontos importantes que ajudarão a sua busca – sintomas de escolhas equivocadas, pontos a serem reforçados. Se ainda estiver na dúvida durante a contratação, procure um consultor para a tarefa.

Diga o que espera do aspirante a contratado. Detalhe as suas expectativas de forma objetiva. Fale do comprometimento necessário; da eventualidade de trabalhos nos finais de semana; da equipe a qual se juntará. Desenhe o cenário da forma mais minuciosa possível.

Como adoramos bisbilhotar em fóruns, neste aqui achamos a troca de impressões entre recrutadores que tiveram experiências negativas na contratação de devs. 

 

Compilando nosso conhecimento com outras pessoas que sabem das coisas, compartilhamos as seguintes regras de ouro da contratação de desenvolvedores Java:

1- Os melhores chamam os melhores. Contrate um desenvolvedor top e, na primeira oportunidade de aumentar o time, ele chamará alguém também muito talentoso. Essa é uma característica deles: gostar de estar entre os melhores.

2- Dispense estrelas. O cara é bom, mas se acha a última batatinha do pacote de Ruffles. Não há talento que valha o estresse que um profissional assim pode causar. Não se faz um software sozinho. Ele é feito da reunião de expertises complementares.

3- A questão não é quanto tempo o funcionário vai ficar, mas o que ele irá deixar de herança ao ir embora e a contribuição da passagem pela sua empresa na carreira dele. Estamos falando de Millenials, para quem o ditado “e foram felizes para sempre” não emociona tanto quanto “e que venha o novo!”.

4- Estar em sintonia com o culture code da empresa. A core mission da empresa faz sentido ao candidato?  Ponto importante para levar em conta.

5- Codar sim, mergulhar em burocracia, nem pensar. Programador gosta de programar. Se a sua empresa burocratizar demais o trabalho dele, “coisificando” a vida  dos colaboradores, na primeira oportunidade, lá se vai o seu dev porta afora…

6- É mais do que o dinheiro. Não é porque o salário é bom, que tudo estará resolvido. O maior fator motivador de um desenvolvedor é o trabalho, as perspectivas de projetos novos pela frente e a existência de um time de feras para trocar experiências.

7 – Capacidade de dizer não. É consenso que muitos casos de amor de empresas com desenvolvedores acabaram pelo simples motivo de o colaborador não saber dizer que não sabe fazer, que não dá para fazer, que não concorda que seja a melhor solução. Aproveite para checar esse ponto na pré-seleção.

Dica bônus de leitura: 20 Development Leaders and Java Pros Reveal the Most Important Characteristics and Skills of Great Java Developers

Facilite o processo com soluções inteligentes

Dá para facilitar bastante todo esse trabalho de prospecção dos melhores desenvolvedores Java. Avalie com atenção as competências e habilidades necessárias para o sucesso da empreitada, conforme as dicas que selecionamos, e considere vitaminar essa busca com ferramentas inteligentes, capazes de pré-selecionar talentos sob medida para as suas demandas.

É exatamente isso que nós, da Geekhunter, fazemos.

Quer saber mais sobre como inovar na contratação de desenvolvedores Java? Junte-se às mais de 1000 empresas parceiras que descobriram uma plataforma para recrutar de forma rápida, econômica e eficaz os melhores.

Contrate os Melhores desenvolvedores na GeekHunter

Veja também

Comentários

comentários