Conheça as 7 maiores mudanças do PHP 7

O mundo da tecnologia é mais dinâmico do que parece, ou seja, qualquer coisa ou pessoa que fique muito tempo sem se atualizar pode perder espaço — e o PHP finalmente está correndo atrás para corrigir suas falhas nesse quesito. Dez anos depois de sua última grande atualização, o PHP 7 chega com várias novidades para alegrar e facilitar a vida dos programadores web.

Confira as 7 maiores mudanças do PHP 7 em relação às suas versões anteriores e o que você pode esperar da linguagem a partir de agora:

1. Aumento incrível de desempenho

Talvez seja a novidade que mais salta aos olhos de todos que já experimentaram o PHP 7. Como todo seu motor foi remodelado, o que já foi possível constatar é uma melhor performance e uma melhor alocação de memória. Dependendo da plataforma, o sistema chega a rodar nove vezes mais rápido do que no PHP 5! Um infográfico da Zend mostra que há ganhos significativos mesmo em CMS mais robustos, como Magento (até 3x mais requisições por segundo) ou WordPress (2x mais), o que mantem a linguagem no topo da lista das mais rápidas para web.

2. Tratamento de erros fatais como exceções

O comportamento de erros fatais no PHP sempre foi bem distinto: o sistema trava e impede qualquer carregamento na página, um verdadeiro caos para aplicações em produção. Agora, com o PHP 7, é possível considerar esses erros como exceções e tratá-los no código, com um bloco try comum. Mais controle e segurança do que antes, com a possibilidade de desenvolver aplicações ‘fail gracefully’, sem grandes impactos para o usuário.

3. Novos operadores

Essa novidade é boa para aqueles que gostam de poupar caracteres em seus códigos. O PHP 7 traz dois novos (e úteis) operadores lógicos: o “spaceship” (<=>), que é capaz de comparar dois valores e dizer qual deles é maior (incluindo strings e arrays); e o “null coalescing” (??), que verifica a existência de determinada variável sem usar o famoso método “isset”. Agora você também pode usar o define() para declaração de arrays constantes e outras operações como importar múltiplas classes e funções com ‘use’ agora podem ser agrupadas e realizadas com uma única linha de código.

4. Indução de tipos em variáveis e funções

Depois de muito tempo, o PHP começa a receber um suporte mais sólido à indução de tipos, mesmo que ainda seja bem pouco. Com a sétima versão, é possível criar variáveis dos tipos “int”, “float”, “string” e “bool”, além de usá-los para indicar qual tipo de valor uma determinada função retornará. Os seus códigos agradecem!

5. Classes anônimas

Assim como as funções anônimas, o PHP 7 permite a criação de classes anônimas, ou seja, é possível agora criar classes que não precisam ter um identificador específico, além de poderem ser retorno de funções, quando necessário. A mudança permite a criação de classes e funções inline, uma grande aliada nos testes unitários.

6. Suporte ao Unicode

Superando a grande pedra do sapato da cancelada versão 6 da linguagem, o PHP 7 finalmente é capaz de entender e converter valores Unicode para seus respectivos caracteres a partir de seus códigos hexadecimais em comandos de saída como “echo”. Uma ótima notícia para aqueles que procuravam métodos alternativos para isso há tempos.

7.Retirada de funções

Algumas funções já consideradas obsoletas por boa parte dos usuários finalmente deram adeus no PHP 7. Todo o conjunto “mysql_”, que tratava da interação com bancos de dados MySQL, não existem mais dentro da linguagem, assim como as “ereg_”, que gerenciavam a busca a partir de expressões regulares. Grande parte das funcionalidades do primeiro conjunto estão presentes na mysqli_, enquanto usuários de funções ereg_ provavelmente provavelmente vão querer migrar para a biblioteca PCRE, com o prefixo preg_.

Preocupado com as alterações? A Umbler preparou um apanhado das funções removidas e alternativas para obter as mesmas funcionalidades, vale a pena conferir e já se adaptar para novas aplicações. Se você possui um sistema que roda nas versões anteriores, uma dica é o PHP 7 Compatibility Checker, que permite varrer a aplicação e verificar erros e warnings na nova versão do sistema e migrar com mais segurança e confiabilidade.

Ainda não iniciou na linguagem? A Geekhunter é parceira da Udemy e oferece descontos em diversos cursos, inclusive PHP, é só acessar e começar a desenvolver suas aplicações. Você também pode ver “8 erros de CSS que você não pode cometer“.

Deixe seus comentários e mostre quais recursos você ainda espera para as próximas versões da linguagem.

Entre para a elite de desenvolvedores

Veja também

Comentários