Currículo 2.0: dicas avançadas para talentos fora da curva

Currículos como conhecemos hoje em dia estão condenados. Formas mais eficientes de aplicação e avaliação para processos seletivos irão surgir e emergir. Veremos essa transformação através das inovações dos empreendedores e desenvolvedores. Nessa nova competição o jogo terá novas regras e entrar preparado nessa partida é o começo da vitória.

Este artigo é uma referência para profissionais que querem maximizar suas chances de obter sucesso em processos seletivos. O currículo é o pontapé inicial e a porta de entrada para a entrevista em uma empresa bacana ou uma startup.

Sobre o que conversaremos neste post:

  1. Gatekeepers: O currículo deve comunicar adequadamente com todos
  2. Foco do currículo: O que ele deve enfatizar?
  3. CV Timeline: as mudanças e os novos horizontes
  4. Social backup storage: Currículo 2.0

Gatekeepers

Há várias pessoas envolvidas para uma contratação. Cada uma delas tem um interesse, uma função e cumpre um papel diferente no processo. Para complicar um pouco mais, são perfis profissionais completamente discrepantes, com capacidades de avaliação e entendimento técnico e não técnico distintos.

Iremos apresentar os vários gatekeepers envolvidos nesse processo, ou seja, todas as pessoas que estão nos quatro lados da mesa, durante o processo de avaliação do perfil. O desafio é identificar esses players e formular um currículo capaz de comunicar numa linguagem universal.

Quase que invariavelmente, seu CV tem sempre três grupos de leitores, cada um deles com um interesse particular. Você precisa garantir que o seu currículo fale com todos esses diferentes públicos. Na sequência são apresentados os guardiões que carimbam no seu currículo o passaporte de entrada para uma oferta de trabalho.

Recursos Humanos / Recrutadores / Caçadores de talentos

Provavelmente essa será a primeira pessoa a analisar o seu currículo. Hoje em dia essa é ainda a dinâmica mais aplicada nas empresas.

Mais provável ainda é que essa pessoa não possua expertise técnico ou de negócio. Isso será um ponto para uma discussão à parte.

Esse jurista – no papel de árbitro – filtra os currículos e decide quem segue ou não no jogo. Comumente essa também é a prática mais adotada nas organizações. Somente os escolhidos são encaminhados para o segunda avaliação, normalmente executada por alguém com maior engajamento técnico.

Gerente de contratação

Essa posição normalmente é exercida por algum especialista sênior da área técnica. Em outros casos, é executada por alguém com perfil de gerência ou liderança, com grande conhecimento da operação e dos negócios da empresa.

Às vezes ambos estão presentes, seja com a participação de duas pessoas nessa etapa,  ou ainda quando uma mesma pessoa absorve esses dois perfis.

Algumas considerações:

  • Há outras coisas mais importantes para essa pessoa do que a leitura do seu CV.
  • É provável que você seja subordinado diretamente a essa pessoa, caso ingresse na empresa.

O time de desenvolvedores

Na maioria das vezes esses serão seus futuros colegas de trabalho. Frequentemente esse time de desenvolvedores que participa do processo é selecionado pelo Gerente de contratação que delega e compartilha essa responsabilidade com alguns de seus subordinados.

Esse time deveria ser o principal influenciador sobre a contratação de um novo membro. Eles formam rapidamente uma opinião sobre como seria trabalhar com você na equipe.

Seu currículo precisa responder rapidamente às perguntas de cada um desses grupos. Em geral, ninguém aprecia ler currículos e o melhor que farão é passar os olhos rapidamente sobre a maior quantidade de CVs possível.

Muitas vezes esse processo de avaliação é sequenciado, ou seja, você precisa da aprovação de um grupo responsável para seguir no processo com o próximo.  Portanto, faça com que seu currículo responda de forma objetiva as questões de todos. Evite que algum desses grupos coloque obstáculo por inadequação no entendimento do seu currículo.

Foco do currículo: experiência profissional, formação acadêmica e projetos pessoais

Currículos precisam ser definidos como eles realmente são: uma carta de introdução e intenção profissional. Atualmente não há tempo para longas cartas. Portanto, listas estruturadas podem ser mais efetivas. Assim, é importante escrever um documento otimizado de leitura fácil e ágil.

A intenção do currículo está implícita: conseguir uma entrevista e depois um emprego. A introdução é portanto fundamental, pois ela é a primeira evidência que você é perfeito para a oportunidade.

Como Desenvolvedor, o foco deve estar em três aspectos: experiência profissional, formação acadêmica e projetos/planos de estudos pessoais. Seu objetivo no CV deve ser transmitir seus pontos fortes nesses pilares.

Se você está aplicando para uma oportunidade e ainda não conta com experiência prática, seus projetos paralelos aliados aos seus estudos podem te ajudar e levá-lo até uma entrevista. Por outro lado, se você possui experiência profissional, isso deve ser evidenciado de forma relevante.

A experiência prática é a primeira prova de que você é apto. Apresente exatamente suas responsabilidades e habilidades, mantendo o foco em deixar o seu CV legível a todos.

Seja breve, seja enfático, seja você! Aplique esse princípio para expor seus projetos/planos de estudos pessoais. Essa é a oportunidade de expressar seus interesses, talentos e mostrar seu lado empreendedor.

Todas as iniciativas pessoais são válidas, desde que estejam alinhadas na construção do seu perfil. Tem projetos disponíveis online? Disponibilize os links. Compartilhe seus projetos – voluntários ou escolares  – nos quais você tenha contribuído de forma significante ou autoral. Pontue iniciativas pelas quais você seja um entusiasta.

Em relação ao background acadêmico, reportar toda a sua formação com as datas e instituições correspondentes é suficiente.

CV Timeline: as mudanças e os novos horizontes

Décadas atrás o registro do currículo era uma formalidade inicial dentro do processo de seleção das empresas. O processo como um todo era bastante impreciso e manual, contando com pilhas de currículos impressos em papel.

Podemos imaginar como esse modelo de banco de talentos é ineficiente e custoso, tanto para as empresas quanto para os candidatos. Nesse contexto e em função da complexidade do processo, a entrevista presencial do candidato acabava sendo a fase mais importante. Nessa abordagem ultrapassada se perdiam ótimos perfis de candidatos no meio do caminho.

A era dos currículos em formato digital substituiu esse modelo. Nela o input do perfil do candidato é feito com a digitação do currículo por parte do candidato ou das empresas. Aquele extenso documento impresso deu lugar ao arquivo PDF e aos formulários de currículo.

No geral, esse modelo de CV descritivo é atualmente a maneira mais popular e difundida. Entretanto, em algumas áreas – como a de desenvolvimento de software – esse modelo não satisfaz por completo as necessidades. É ainda uma maneira ineficaz dos candidatos tentando comunicar suas experiências, habilidades técnicas e potencial através de um documento extenso e recheado de siglas e acrônimos que muitas vezes não chega sequer a ser analisado adequadamente.

Dessa necessidade estão emergindo novas alternativas, compartilhando espaço com o bom e velho currículo. Ferramentas como uma página web, um vídeo no Youtube, um perfil do Linkedin, Stack Overflow ou Github, ou mesmo uma combinação de tudo isso.

Social backup storage: Currículo 2.0

Ferramentas de Social backup storage como GitHub estão sendo utilizadas cada vez mais para análise e avaliação do perfil técnico dos candidatos. As empresas querem ver o que você criou e como você construiu. A melhor maneira de fazer isso é observar o seu portfólio.

Muitos Desenvolvedores já entenderam isso e organizam seu portfólio para ser seu Currículo 2.0. O GitHub por exemplo, é mais do que um repositório de armazenamento, ele é um portfólio e é público. Portanto, você não pode despejar tudo lá. Seja seletivo e cuidadoso para não acabar entulhando sua conta e poluindo sua própria imagem.

Alguns problemas comuns que pesam negativamente:

  • Excesso de repositórios
  • Compartilhamento de qualquer coisa
  • Descrições imprecisas ou ausentes
  • Repositórios muito antigos
  • Conteúdo tecnicamente obsoletos
  • Códigos medíocres

Querendo ou não, o portfólio é o seu cartão de visitas. Ele demonstra como você está gastando o seu tempo. Portanto, identifique os projetos mais relevantes, aplique soluções interessantes e publique algo realmente bom, com um código elegante, performático, apropriadamente descrito e testado.

Divulgue no seu portfólio algo que todo mundo gostaria de ver. Lembre-se, quantidade não é qualidade. Tenha cuidado com o seu portfólio para que ele trabalhe a seu favor.

Entre para a elite de desenvolvedores

Silvio Mendes

Silvio Mendes

Content Manager em GeekHunter
Silvio Mendes

Últimos posts por Silvio Mendes (exibir todos)

Veja também

Comentários