Skip to main content

Github: uma oportunidade de mostrar o seu trabalho e ser contratado

O mundo da tecnologia de informação está cada vez mais concorrido. Novas tecnologias vêm surgindo aos montes e em uma velocidade impressionante. Pessoas para desenvolverem aplicativos e programas capazes de lidar e controlar essas tecnologias estão sendo cada vez mais procuradas. Com toda esta concorrência e diversidade, como fazer para se destacar neste meio?

Em algumas profissões é comum os profissionais terem um portfólio para divulgarem seu trabalho. Desenhistas podem expor seus desenhos no DeviantArt, músicos e cantores divulgam suas canções no SoundCloud ou YouTube. Mas e os programadores? Onde eles poderiam exibir seu programas e códigos?

O Git e GitHub

O Git é um repositório de controle de versão de arquivos, utilizado para controlar versões de códigos-fonte e desenvolvimento colaborativo. Foi criado em 2005 pelo Linus Torvalds, criador do kernel do Linux, para hospedar o código-fonte do Linux e permitir a colaboração em seu desenvolvimento, já que a antiga empresa que hospedava seu código, a BitKeeper, queria passar a cobrar pelos seu serviços.

O GitHub, lançado em 2008, é uma versão para web do Git. Funciona como uma rede social colaborativa, onde programadores e empresas colocam seus projetos para o desenvolvimento do código. Os projetos no GitHub são em sua grande maioria open source, mas é possível tornar seu código privado ou disponível somente para algumas pessoas através de planos pagos. O GitHub já se tornou um dos, senão o maior armazém de códigos na nuvem.

Tenha em mente que Git e GitHub são coisas diferentes. Você pode ter o Git para controle de versão somente em seu hd. Use o GitHub se quiser compartilhar seu código ou colocá-lo na nuvem.

O GitHub possui todas as funcionalidades do Git, e conta com várias outras funcionalidades extras, listadas a seguir:

  • documentação
  • rastreamento de problemas
  • wikis
  • pull requests com comentário e revisão de código
  • histórico de commits
  • notificações por email e emojis
  • arquivos do Photoshop podem ser vistos e comparados com versões anteriores
  • GitHub Pages: pequenos websites podem ser feitos.

Esta última funcionalidade que iremos explorar para construção do seu portfólio.

GitHub Pages: montando seu portfólio de códigos

Além de ser um repositório de códigos, o GitHub oferece a possibilidade de hospedagem de mini-sites estáticos, quantos você quiser! Isso é uma ótima maneira para os desenvolvedores criarem e divulgarem seus códigos.

Há duas maneiras de construir suas páginas no GitHub: com o GitHub Theme Chooser, ou escrevendo o código do zero.

Antes de começar, é preciso preparar seu GitHub para hospedar seu site. Aqui vai um passo a passo resumido para isso:

  1. crie um novo repositório chamado username.github.io, trocando o username pelo seu nome de usuário no GitHub. Este será o repositório do seu site e o GitHub automaticamente o reconhecerá como a sua home page
  2. crie o arquivo index.html com o que você quiser que apareça na sua página. Um “Hello world” para teste é suficiente
  3. faça um add, commit e um push para visualizar as mudanças

Você também pode baixar templates para seu portfólio. Mais detalhes sobre como montar sua página está descrito no próprio gh-pages.

Há também a opção do GitHub Résumé, que gera um currículo a partir das informações do seu GitHub. Um resumo com as linguagens que utiliza, projetos que participa e seus repositórios mais populares são organizados automaticamente.

O que colocar no portfólio?

Depois da sua página pronta, chega a hora de colocar seus projetos para o acesso de quem estiver interessado. E aí vem a dúvida: o que colocar no portfólio?

Resumindo em uma palavra: TUDO! Aquele seu projeto pessoal ou da faculdade que você acha que não serve para nada, pode conter algum conceito ou técnica de programação que alguma empresa procura.

Fez um curso complementar de programação onde teve que desenvolver algum projeto? Coloque-o no GitHub. Tem um projeto pessoal sendo desenvolvido, coloque-o também. Além do seu código ficar visível para o mundo, pessoas ainda podem ajudá-lo a desenvolvê-lo.

Se você já é programador e desenvolve para uma empresa, muito provavelmente não poderá divulgar seu código. Neste caso crie projetos simples com a tecnologia e metodologia que está usando e coloque no GitHub, descrevendo tudo o que fez.

Um elemento importante para os seus projetos mas que nem sempre recebe a devida atenção é o arquivo README.

O README é a primeira impressão do seu trabalho. Sempre tenha um na raiz do projeto. Um bom README é aquele que contém uma boa descrição do objetivo, onde e como usar, lista de funcionalidades, dependências para funcionar. Exemplos de uso será um plus.

Lembre-se que o README é para ser um resumo, não uma documentação do projeto. Se for o caso disponibilize o link para a documentação no arquivo.

Não esqueça de definir uma licença para o seu projeto. Você pode perder oportunidades caso não tenha uma licença definida. O site Choose a License pode ajudá-lo a definir qual licença adotar.

Para aplicar uma licença ao seu projeto basta criar um arquivo com o nome LICENSE e colar exatamente o conteúdo da licença nele. Altere somente se a licença tiver espaços para serem preenchidos com seu dados. O GitHub automaticamente identificará a licença e adicionará um pequeno ícone dela no topo do seu projeto. Caso isso não ocorra, revise o arquivo.

Crie um blog

Apesar de escrever códigos (e não textos) ser a principal finalidade do desenvolvedor, ter um blog pode ajudar a divulgar seu trabalho. O GitHub também permite que você crie um blog com as mesmas funcionalidades de um CMS, mas com páginas estáticas, através do Jekyll.

Se você já possui um blog, você pode migrá-lo para o GitHub. O site do Jekyll dispõe de uma série de ferramentas para migrar diversos formatos de blogs, como WordPress, Blogger e Joomla para Markdown, a linguagem utilizada no Jekyll e GitHub.

Como o recrutador irá avaliar seu portfólio?

É difícil afirmar com certeza como o recrutador irá avaliar seu portfólio, pois cada empresa possui um processo de seleção diferente. Mesmo assim, vamos falar aqui de algumas possibilidades e métodos de avaliação pelo GitHub.

A primeira delas é olhando diretamente a página do seu portfólio. É importante produzir uma página bem elabora mesmo que você não seja um desenvolvedor front-end, pois isso irá mostrar um cuidado com a entrega do seu trabalho. Se achar melhor, use um dos vários templates disponíveis.

Apesar de ser uma opção, ter uma home page no GitHub não é extremamente necessário para a divulgação dos seu portfólio. Um link para o seu repositório já é o suficiente. Não é comum recrutadores analisarem todo o GitHub de um candidato, mas algum projeto específico pode chamar atenção. Você também pode mostrar um projeto específico que possa ser relevante para uma determinada vaga.

Outra maneira de se usar o GitHub em um processo seletivo é através de testes. O recrutador cria um repositório, pede que o candidato faça um fork deste repositório e depois dê um commit com alguma modificação, que será a resolução do teste. Este tipo de teste serve tanto para avaliar a capacidade de programação do candidato quanto sua familiaridade com o Git. É o tipo de avaliação mais comum.

Depois de todas essas dicas dificilmente você passará despercebido no mundo do desenvolvimento e ao olhos dos recrutadores.

Gostou do texto? Leia também como ter sucesso na busca por novas oportunidades de trabalho.

banner-candidato

Veja também

Comentários

comentários

Cancelar