Marketing para recrutadores: atraia os melhores candidatos

Como não ser mais um na multidão?

Este é hoje um dos maiores desafios de quem trabalha com a atração e seleção de profissionais de TI: chamar atenção para a sua vaga, nesta verdadeira batalha pela preferência dos melhores profissionais.

É esse mercado superaquecido que faz com que o marketing para recrutadores esteja tão em alta: nessa disputa, chega na frente a empresa que sabe se vender melhor e faz uso das melhores ferramentas tecnológicas, não só para atrair talentos fora da curva, mas para tornar o processo mais rápido, econômico e assertivo.

Mas o que é “se vender melhor”? E que ferramentas são essas que otimizam a atração e seleção de talentos? É isso que veremos neste post.

Dica: comece por ideias mais simples, aquelas que podem sair do papel para a prática sem grandes sobressaltos. Ou seja, tudo o que você vai ler aqui é aplicável.

Marketing para recrutadores: o que os candidatos buscam?

Em primeiro lugar, reforçamos o que nossa experiência no dia a dia do recrutamento dos melhores em TI nos ensinou: o candidato diferenciado que você procura não se satisfaz apenas com bons salários. Ele está interessado numa cultura organizacional que reflita os seus valores e permita um bom equilíbrio entre as vidas pessoal e profissional.

Não há dúvida de que dados, marketing e tecnologia são o tripé do novo RH, e juntos estão provocando uma grande revolução na forma de recrutar.

Preste atenção nesta frase de John Sullivan, consultor e líder de RH no Vale do Silício:

“Recrutamento tem muito a aprender com marketing de produto porque os dois usam técnicas de branding, divulgação e venda. E claramente o marketing ainda recebe muito mais atenção nas empresas do que o RH. Para mim, é como se o RH fosse um departamento de marketing e vendas com um budget pequeno”.

Concorda?

Sullivan inclusive faz uma análise dos principais fatores de aceitação de empregos. E os separa em 3 grupos: “Imprescindíveis”, “Um plus que cai muito bem” e “O fim da picada”

Imprescindíveis

-Salário justo

-Autonomia

-Acesso às últimas tecnologias e ferramentas

-Ótimo ambiente de trabalho

-Bom plano de saúde

 

“Um plus que cai muito bem”

-Possibilidade de ascensão profissional

-Aprendizado constante

-A perspectiva de fazer parte de algo que tenha impacto na sociedade

 

“O fim da picada”

-Não ser tratado como cliente durante a seleção

-Não haver sinais de diversidade e inclusão no processo

Dito isso, abrace o marketing

Desde o job description e a entrevista, passando pela experiência do candidato nas primeiras semanas do trabalho, cada etapa é fundamental na construção do seu employer brand.

Tem um consultor da área de tecnologia, Michael Cummings, que sugere 5 estratégias para incluir nos seus esforços de recrutamento e atrair a atenção dos mais qualificados:

1-Pense como um profissional de Marketing

Se você não pensar como um profissional de marketing, não vai agir como um. Elementar, certo?

Defina:

  • seus objetivos -“atrair candidatos mais qualificados”
  • suas vendas – “a vaga para desenvolvedor front-end”, “os valores da empresa”
  • seu público – “profissionais sêniores que usam a tecnologia x e tenham perfil de liderança”

2- Crie um plano de marketing

Como a gente disse no início, normalmente, as melhores soluções estão nas coisas simples. Criar um plano de marketing não significa investir tempo em algo muito complicado. Em um documento de uma página você resolve.

Inclua a descrição das atividades que você irá executar para atingir os seus objetivos e os custos para viabilizá-las – o tempo de trabalho da equipe, a publicação de vagas, ferramentas etc.

Tenha também um cronograma de execução, detalhando as atividades e o status delas.

3- Comunique-se bem

Só há uma forma de garantir que a sua mensagem atinja o seu público: conhecendo esse público!

Se você estivesse no lugar dele, o que você gostaria de ouvir?

Vamos pegar os millenials como exemplo: para eles, flexibilidade de horário, equilíbrio entre a vida pessoal e profissional e um ambiente de aprendizado são pontos muito atrativos.

Vale lembrar que não se deve prometer o que não pode ser cumprido, sob pena de o candidato atraído por uma falsa esperança entrar para as suas estatísticas de falha na retenção.

4- Táticas

Tática são as ações que você irá tomar para chegar aos seus objetivos. Nas campanhas de recrutamento, isso significa construir uma boa página de carreira, publicar jobs em sites externos e fazer campanhas de mídia social.

Sempre com a preocupação de mostrar por que a sua empresa é um ótimo lugar para trabalhar.

Uma tática que dá muito certo é usar depoimentos de seus colaboradores, treinar a equipe para fazer entrevistas cada vez melhores e criar o seu programa de indicação.

5- Meça resultados

O que não se mede, não se gerencia, ensina o marketing. Você tem que acompanhar de perto o progresso de suas ações: a quantidade de currículos recebidos até o preenchimento da vaga em aberto,  o número de acessos que o anúncio gerou ao site da empresa, entre outros.

Resumindo: tudo o que puder ser medido deve ser medido.

Ok, falamos de marketing, de como se vender melhor. Mas e as ferramentas que podem ajudar no processo?

Funcionalidades como entrevistas por vídeo, auto agendamento, on-boardings e ofertas de vagas online estão melhorando a interação dos candidatos e possibilitando a produção de feedbacks em tempo real.

As organizações que insistem em adiar a implementação da automação aos seus sistemas de recrutamento estão correndo o perigo de perder os melhores candidatos para os seus competidores que pensam mais à frente.

A automação melhora a consistência e a eficiência e reduz os custos.

O nível de automação pode variar muito, de acordo com a realidade da empresa, número de vagas etc. No entanto, um sistema de e-Recruitment que incorpora automação em seus processos deve ser considerado como uma parte essencial da caixa de ferramentas de qualquer recrutador.

Há inclusive plataformas que usam inteligência artificial para otimizar o trabalho dos recrutadores.

Imagine receber uma listagem já pré-selecionada e com as competências e habilidades devidamente classificadas! Já pensou no valor de receber profissionais já testados e sistemas de recomendações inteligentes para completar as suas vagas? ´É isso o que as plataformas de recrutamento oferecem para você.

Conclusão:

Vimos como as estratégias de Marketing podem ajudar na atração dos top talentos, a partir de um planejamento simples, que engloba questões como construção de uma boa imagem, comunicação clara e direta, planejamento e métricas bem definidas.

Em paralelo, vimos também que o uso de tecnologia para entrevistas com candidatos e publicação de vagas e a automação de etapas do processo seletivo podem liberar o RH para focar na análise de soft skills do candidato, fit cultural e questões ligadas à inteligência emocional.

E, então, você já aplica marketing e tecnologia ao seu processo seletivo? Conte para a gente! E aproveite para ler o nosso material incrível com 51 dicas essenciais para o sucesso na contratação.

Comentários

comentários