Skip to main content
todo-rh-precisa-saber

O que todo RH precisa saber sobre a contratação de programadores

Vamos passar a limpo algumas das grandes dúvidas em relação à abordagem de devs e revelar as maiores causas dos ruídos (completamente contornáveis) que impedem o sucesso dessa comunicação.

Não há culpados. A experiência mostra que é difícil para os dois lados, tanto para quem tem a missão de identificar talentos na área de tecnologia quanto para os profissionais que buscam oportunidades de trabalho.  Então, zeramos o jogo.

Está complicado prospectar e atrair os melhores desenvolvedores para a seleção de sua vaga? Bem-vindo ao clube! Cerca de 93% dos que têm tinta na caneta para contratar talentos em TI assumem que a tarefa de atrair gente qualificada é um desafio digno de Hércules, de acordo com a Computing Technology Industry Association. Nos últimos dez anos, o volume de empregos na área de software aumentou em cerca de 45%, como registra uma matéria da Computerworld. E como o pessoal de RH tem se preparado para esse novo cenário?

 

A empresa de recrutamento norte-americana Stack Overflow fez uma pesquisa, há três anos,  com mais de 2 mil desenvolvedores para saber o que eles mais valorizam em uma oportunidade de trabalho. Resumindo, pessoal: eles querem um trabalho que venha com três itens básicos de fábrica:

-a perspectiva de aprender e crescer pessoal e profissionalmente;

-a possibilidade de trabalhar com gente que tenha uma boa bagagem para a troca de experiências;

-e a garantia e a tranquilidade de estar sob o comando de um bom gestor.

Ou seja, eles querem o que muitos outros profissionais, independentemente da área, querem!

 

Em fóruns de discussão de devs – sim, há muito conteúdo dando sopa para quem se dispõe realmente a conhecer o fascinante mundo dos desenvolvedores – acompanhamos bate-papos muito reveladores. Encontramos até um desafio no Twitter, que provocava devs a listarem dicas sobre a melhor maneira de serem abordados por recrutadores.

A provocação era: “Se você pudesse dar um conselho a um recrutador, o que diria? Seja educado 😊”. É claro que, diante dessa quase terapia em grupo, o pessoal soltou o verbo e veio com tudo:

Trate desenvolvedores como seres humanos, eles são bem parecidos com essa espécie”;

Transparência, acima de tudo: não minta, não esconda detalhes, não manipule”.

Enfim, tem muito mais conteúdo para refletir no link citado anteriormente.

 

Você também encontrará insights valiosos em nosso eBook 51 dicas para contratação de desenvolvedores.

 

Juntando tudo o que os especialistas dizem com o que a gente recebe de feedback, seguem 8 regrinhas básicas para prospecção de desenvolvedores:

 Mostre que a sua empresa é o melhor lugar para um desenvolvedor estar. Fale da missão da empresa, dos seus planos e de como você vem se preparando para estar sempre up to date com o movimento do mercado. Ele precisa entender por que você é melhor do que a concorrência, que tanto o quer também.

Se a empresa é interessante, a vaga deve parecer igualmente única. Temos batido na tecla de que o desenvolvedor vai se sentir atraído por um lugar que dê reais perspectivas de aprendizagem e crescimento. Isso é quase um mantra! Mande ver nas suas vantagens competitivas. Descreva os desafios e o clima motivador que envolve esse posto de trabalho. Destaque a importância dos desenvolvedores para o crescimento do seu negócio. Não se trata de atrair alguém com a expectativa que entregue o feijão com arroz (mesmo que bem  temperadinho) e sim de alguém disposto a ousar nesse cardápio.

3 A verdade é que 9 em cada 10 desenvolvedores topam mudar de emprego por praticamente o mesmo salário atual, se o emprego atender critérios importantes de outros campos, que não o financeiro. Dev que é dev espera muito poder contar com bons equipamentos, ter horários flexíveis e não se sentir jogado em um celeiro de juniores, sem nenhum programador sênior para servir de maestro para uma orquestra menos experiente.

Menos blablabá e mais descrição do perfil técnico. Incluir na lista descritiva da vaga habilidades como “ser bom de relacionamento”, “gostar de desafios e trabalhar em time” ou “saber se comunicar em várias esferas” são coisas que, mesmo que o candidato não tenha, não vai tomar como um impedimento para continuar na disputa pela vaga. Isso só vai fazer a sua descrição ficar longa demais e aumentar a chance de que os itens essenciais sejam  pulados. Deixe para checar essas características pessoais numa fase posterior.

Todo mundo gosta de estar em time que ganha. Uma coisa que os recrutadores reconhecem é que desenvolvedor gosta de se sentir trabalhando entre os melhores. Isso vem lá no topo da lista das expectativas deles. Fale do seu time, ressalte os diferenciais, destaque projetos que ajudaram a desenvolver e os desafios que têm pela frente. É uma maneira de o próprio candidato refletir se ele se encaixa no perfil da empresa.

Familiarize-se minimamente com os termos técnicos. Recrutador não precisa codar, mas é bom que entenda de forma básica quais as skills e as tecnologias que a vaga requer. Fica difícil julgar, se tudo aquilo para você soa como grego. E o negócio é bem complicado mesmo para os não iniciados. Só para exemplificar, Java não é a mesma coisa que JavaScript. Ou seja, usar a nomenclatura errada na hora da seleção, muda tudo e deixa a sua credibilidade abalada.

Nunca vender dificuldade para colher facilidade. Os desenvolvedores sonham com recrutadores que conduzam o processo de forma simples. Gostam de quem já adianta o máximo de detalhes sobre o emprego e a empresa e, assim, evita que seja necessária uma série de contatos complementares para a tomada de decisão. Isso é economia de tempo e dinheiro.

Respeito é bom e todo mundo gosta. Incomoda bastante os devs a sensação de que, apesar de nitidamente haver mais procura do que oferta por desenvolvedores, o tom da seleção muitas vezes é de leilão. Ninguém gosta de se sentir como um produto. Humanize o processo. Dê  feedback desde o início do processo, incentive o candidato a também dar esse retorno, e deixe as expectativas de ambos os lados alinhadas.

O que o RH diz e o que desenvolvedor entende

Tem um artigo muito legal da Stack Over Flow que explora esse ruído na comunicação entre RH e dev.

Ele é todo feito em cima de situações recorrentes que levam o programador a desconfiar da vaga oferecida. Os caras listam frases ditas pelo recrutador e mostram como o significado delas pode parecer bem diferente para o candidato. É impressionante como muitas vezes a intenção do emissor passa longe da interpretação do receptor. Vale a leitura.

Sempre dá para fazer do limão uma limonada, se houver disposição. Tratamos disso no post Como enfrentar a complexidade na contratação de desenvolvedores.

Tenha sua própria mina de diamantes

Há um ditado que diz que os talentos em TI são como diamantes: difíceis de achar, todo mundo sonha com eles e quem tem sempre quer mais!

E sabe qual tem se mostrado um dos pontos de maior tensão no processo de identificação e atração desses talentos? A entrevista. Ela é realmente um divisor de águas. E adivinhe uma coisa que passa despercebida pela maioria dos RHs: na hora da entrevista, o entrevistador também está sendo avaliado.

Se o dev não for um principiante, já tem referências para julgar o processo de seleção. E vale aqui aquele ditado: a primeira impressão é a que fica. Por isso, preste atenção nestes números divulgados pelo LinkedIn Talent Blog: 83% dos talentos em TI dizem que uma má experiência na entrevista pode fazer com que desistam da vaga e mesmo da empresa, enquanto 87% garantem que uma boa experiência na entrevista pode mudar uma impressão negativa anterior da empresa.

Conte com uma boa pré-seleção para as entrevistas

Por isso, mais e mais empresas estão lançando mão de ferramentas tecnológicas para fazer com que o processo de prospecção e seleção de desenvolvedores seja mais rápido e assertivo.

Há plataformas, como a Geekhunter, que filtram os currículos, aplicam testes de lógica e programação, fazem entrevistas por vídeo e selecionam os talentos que mais casam com a sua vaga.

Quando chega a hora da entrevista final, é partir para o abraço: a empresa vai bem mais segura para a avaliação e consegue resultados infinitamente melhores.

Além disso, criamos um outro conteúdo sensacional com diversas dicas para te ajudar a recrutar o programador certo para o seu time de tecnologia.


Contrate os Melhores desenvolvedores na GeekHunter

Veja também

Comentários

comentários

Cancelar