Skip to main content
Dream Team

Prospecção de talentos: como formar um dream team de causar inveja

Emprego tem muito a ver com namoro. Você pode até acelerar ou pular algumas etapas que levam ao altar, mas tem grande chance de o romance não vingar se, por exemplo, os seus diferenciais não forem bem explorados e se as expectativas de ambas as partes não estiverem devidamente alinhadas, desde o início.

Antes de mais nada, queria dar a dica do nosso #1 Podcast que fala onde você deve concentrar seus esforços para otimizar seu processo de recrutamento, dá uma ouvida:

 

 

Voltando ao assunto, preste atenção neste anúncio:

Vaga para Webdesigner. Formado em Design ou áreas correlatas. Bom ambiente de trabalho. Enviar CV com pretensão salarial para [email protected]

 

Menos atrativo do que uma salada de chuchu, o anúncio de vaga acima não mete pilha nem em universitário da primeira fase. Então, vamos começar por aí o post de hoje: quais os ingredientes essenciais para fazer um anúncio de emprego matador?  Antes de mais nada, não se pode perder de vista uma lógica bem simples: para recrutar os melhores, sua mensagem tem que ir direto ao coração dos melhores. Sem escalas.

 

Vejamos um exemplo de anúncio mais “vendedor”:

CREATIVE NERDS
Front-end developers – JavaScript developer – Required in London – Several opportunities with different companies, work on some amazing development projects – For more details:
(link para a página descritiva da vaga)
email [email protected]
Call: +XXXXXX

 

Parece que lançamos aqui uma nova profissão: o crítico de anúncios 😊

Vamos avaliar um pouco esse outro texto. Para começar, ele joga a isca já na chamada (Creative Nerds); antecipa o local de trabalho, estimula o candidato, ao sinalizar que os projetos que o esperam são bacanas, oferece um link com detalhamento maior da vaga no site da empresa e fornece diferentes formas de contato. Ponto para eles!

Como a gente sabe que nem todas as empresas são exatamente o sonho de consumo do empregado, até porque podem atuar em segmentos muitas vezes inglórios, quem oferece ambiente de trabalho cool, projeto de trabalho cool e se comunica de forma cool (mas verdadeira!, nada de bancar o falso moderninho), já sai em grande vantagem.

Olha o checklist básico do anúncio com mais potencial de dar o retorno esperado:

  •  Título da vaga
  •  Nome da empresa ou do recrutador
  •  Local de trabalho
  •  Responsabilidades do cargo
  •  Qualificações e experiências necessárias
  •  Expectativas quanto ao candidato ideal
  •  Salário ou alguma dica sobre ele
  •  Descrição da empresa (incluindo os valores que preza!) e diferenciais que valham destacar
  •  Detalhes sobre como aplicar para a vaga

Use informações a seu favor sem moderação!

Sabe aquelas vantagens que você oferece? Bote a boca no trombone e divida de forma generosa (mas responsável) com quem você deseja trazer para a empresa. Vejamos:

1. Se eu disser “choveu torrencialmente hoje” você entende que caiu muito água, mas se eu trocar a frase por “choveu o equivalente a quase um mês em pouco mais de 24 horas”, certamente você vai conseguir ter uma visão muito mais precisa do aguaceiro que desabou. Isso serve para a descrição da empresa. Em vez de apenas “uma empresa em franca expansão”, veja se não impressiona mais dizer, por exemplo, que “dobramos o número de colaboradores, no último ano, e já respondemos por 40% do mercado”.

2. Vaga nova na empresa. Isso pode ser explorado. Quer melhor maneira de mostrar que a empresa está em ritmo de crescimento acelerado do que abrir espaço para cargos antes inexistentes? Além disso, você vende, em paralelo, a sensação de que, ao olhar para a frente, o candidato sempre verá um horizonte carregados de oportunidades.

3. Depoimentos de funcionários fazem o maior sucesso. No site, publique as impressões tanto de colaboradores antigos quanto de mais recentes sobre o que é trabalhar na empresa. Lembre-se: pesquisar faz parte do processo de namoro do candidato com a empresa e saber quais as motivações dos futuros colegas para se manterem ali, felizes e estimulados, soa como música aos ouvidos do seu pretendente.

4. Relevância do título da vaga. Postar que está em busca de um Consultor de Assuntos Aleatórios para a Felicidade do Grupo, no lugar de explicar, de forma a não deixar dúvidas, que quer alguém de determinada área do RH, vai fazer com que você saia perdendo duas vezes: corre sério risco de não chamar a atenção do candidato ideal, porque ele simplesmente não entendeu a vaga, além de ter chance zero de alguém encontrar a sua vaga, ao usar os mecanismos de busca – ou você acredita que alguém vai digitar no Google ou no LinkedIn, por exemplo, algo parecido a consultor de felicidade?

Mídias sociais

Vimos a importância de escrever anúncios que saltem aos olhos de quem nos interessa. As redes sociais têm se mostrado grandes aliadas do RH tanto na divulgação de vagas, quanto para revelar informações complementares sobre os candidatos.

E a recíproca é verdadeira: na página da empresa, preocupe-se em incluir postagens que vendam os seus valores. Incentive os colaboradores a interagirem nos conteúdos, a publicar vídeos mostrando o dia a dia no trabalho, enfim, use todo a oportunidade que as mídias oferecem para construção de uma boa imagem na potência máxima.

Remotamente ligados

Como vimos no post  Preparado para atrair o candidato ideal para o seu time de desenvolvimento, o desafio de recrutar os melhores é bastante complexo e requer atenção em uma série de frentes. Um ponto bastante recorrente nas conversas entre RHs, em especial no que se refere ao setor de tecnologia, é o cada vez maior interesse pelo trabalho remoto.

Recentemente, a Auttomatic, empresa que é dona do WordPress, anunciou o fechamento de um escritório digno de filme, em São Francisco (USA). Motivo: os funcionários não davam mais as caras por lá! A estrutura moderna de 15 mil metros quadrados, em funcionamento desde 2010, só estava servindo de abrigo para cinco aguerridos funcionários.

Segundo a Gallup, ¼ dos trabalhadores norte-americanos cumpre expediente remotamente, no total ou em parte do tempo.  A pesquisa mostra que há evidências de que esses empregados costumam trabalhar mais horas do que seus colegas que batem ponto no escritório. Vale ler na íntegra o artigo e entender esse movimento que ganha adeptos inclusive no setor público.

Outras moedas que atraem

Um artigo do Business Daily, assinado por Nicole Taylor, formada em Mídia, Cultura e Comunicação pela Universidade de Nova York, descreve bem um tema que temos discutido muito aqui no blog: não é só dinheiro que importa.Ela diz que a remuneração é importante, lógico, mas não é a única ou a maior resposta que os top talents buscam.

Eles querem coisas bem mais sutis: um ambiente de trabalho desafiador, que estimule a inovação, imprima certa leveza ao dia a dia e contribua para um melhor equilíbrio entre a vida pessoal e o trabalho.

Como tudo se interliga, isso nos leva à questão do trabalho remoto, que abordamos anteriormente, e à necessidade de ter tempo para viver outras experiências cotidianas que enriqueçam o repertório pessoal do colaborador e o faça mais feliz.

A diversidade faz um bem danado

De gênero, de idade, de background, de cultura… Esse é um dos segredos que levam empresas como a Google a ter times fortes e com sangue nos olhos. Não estamos falando de posições de trabalho do tipo linha de produção. Não dá para ter todo mundo igual, pensando igual, reproduzindo mecanicamente o dia a dia de forma linear e repetitiva. Leia um pouco mais sobre o assunto em nosso post Onde estão as programadoras do seu time? Faça da diversidade uma estratégia da sua empresa

Soluções inovadoras

Dá para pegar todas essa dicas e incluir uma última: automatização do processo de recrutamento. Comece a rever as ferramentas que você utiliza. Hoje, existem soluções inovadoras e inteligentes que cortam pela metade o tempo e as dores de cabeça de identificar, atrair, selecionar e contratar os seus candidatos. E melhor: ter a certeza de iniciar o processo com uma pré-seleção que já garante os melhores para a sua vaga.

Contrate os Melhores desenvolvedores na GeekHunter

Veja também

Comentários

comentários

Cancelar