transformação digital no RH

Transformação digital no RH: veja as tendências e impactos desse fenômeno

Em grande parte dos ambientes de trabalho, as máquinas automatizadas, sistemas e computadores realizam tarefas que até pouco tempo atrás eram realizadas pelo homem. Mas esse cenário é apenas o começo. Especialistas afirmam que uma verdadeira ruptura vai acontecer em breve. A tecnologia vai desempenhar um papel ainda mais significativo nas diversas áreas da organização, incluindo o departamento de recursos humanos.

Quer saber como a transformação digital no RH vai impactar esse setor? Então, confira este post!

 

O que é o processo de transformação digital?

 

Não é difícil observar como a tecnologia faz parte das atividades das empresas. Hoje, muitas tarefas repetitivas ou burocráticas são realizadas por sistemas, além de eles dominarem toda a nossa comunicação.

Porém, a transformação digital vai além disso. Ela envolve não só a adoção de tecnologias, mas mudanças realmente significativas no ambiente de trabalho. Trata-se de um processo disruptivo, que tende a reinventar a forma como realizamos nossas atividades.

Nesse novo contexto, a tecnologia não será apenas uma auxiliar — ela terá um papel fundamental. Alguns exemplos já são vistos hoje em indústrias que adotam o modelo 4.0. Nesses casos, são os sistemas que comandam as máquinas, e não mais as pessoas. Os objetos interagem entre si por meio da Internet das Coisas (IoT), tornando a participação humana mínima ou até desnecessária.

 

Qual será o impacto da transformação digital no RH?

 

Porém, a transformação digital tem também um outro aspecto. Ela não serve apenas para o chão da fábrica e para o comando das máquinas. Em áreas estratégicas, como o RH, a inteligência artificial (IA) pode ser usada para melhorar o desempenho e potencializar resultados. Veja alguns exemplos:

 

Automatização dos processos operacionais

 

Não é apenas a operação das máquinas que pode ser automatizada. A transformação digital no RH simplesmente elimina a necessidade de gastar longas horas em processos burocráticos, como ainda acontece em muitas empresas.

Vamos pensar em um exemplo simples: até pouco tempo, um funcionário (ou um grupo) precisava recolher os cartões de ponto ou analisar os livros de presença. Eles checavam dado por dado para descobrir se os colaboradores tinham cumprido suas jornadas com exatidão. Depois desse procedimento, eles calculavam os salários, descontos, horas extras, encargos, etc. Para isso, gastavam uma quantidade imensa de tempo.

Com a transformação digital no RH, essa atividade já não é necessária. Aliás, até mesmo o relógio de ponto pode ser aposentado. É possível registrar a presença dos colaboradores com dispositivos biométricos ou mesmo aplicativos que usam o GPS para determinar a localização.

O tratamento dessa informação também é bem diferente: esses dispositivos enviam os dados por Wi-Fi diretamente para o sistema, que realiza todos os cálculos. Assim, a equipe do RH fica livre dessas tarefas, além de obter dados muito mais precisos.

Esse é apenas um dos exemplos, mas o fato é que a transformação digital no RH pode tirar da equipe o peso de uma série de tarefas. Desta forma, ela pode se dedicar a atividades estratégicas que farão com que os recursos humanos sejam realmente alinhados aos objetivos da companhia.

 

Metrificação do departamento

 

À medida que as tarefas são realizadas pelos sistemas, eles proporcionam dados de grande valor para as empresas. Os gestores podem obter relatórios precisos de indicadores de produtividade e performance. Essas informações ajudam a identificar padrões e condições que produzem resultados satisfatórios, facilitando a adoção de medidas para melhorar o desempenho dos funcionários.

Alguns exemplos são a avaliação da efetividade de treinamentos, da produtividade individual de funcionários ou da equipe, bem como o desenho do melhor perfil para o exercício de um cargo. Todos esses dados têm um impacto na remodelagem do ambiente de trabalho, bem como dos processos de recrutamento, seleção e desenvolvimento de pessoas.

 

Adoção de ferramentas inovadoras

 

Outra vantagem da transformação digital no RH é a descoberta e adoção de ferramentas inovadoras. Um exemplo é o processo de recrutamento e seleção. As empresas estão adotando plataformas em que o candidato se inscreve, realiza testes, é filtrado pelo sistema. Sua candidatura só chega ao RH quando ele demonstra que está apto para o posto, segundo critérios pré-definidos.

Porém, a contratação é apenas o início de um relacionamento entre a empresa e o funcionário, e que deve ser significativa para as duas partes. A adaptação do novo colaborador e seu desenvolvimento constante precisam ser prioridade, o que gera uma série de custos.

Muitas companhias estão descobrindo que os vídeos são um aliado essencial nesse aspecto. Eles reduzem o custo e ampliam o alcance de iniciativas como processos de onboarding e treinamento de funcionários. Além disso, tornam essas ações muito mais interessantes e eficazes.

O conteúdo audiovisual tem um impacto maior sobre a aprendizagem e engajamento que uma palestra ou curso, que pode ser menos didático e até entediante. Além disso, os vídeos podem ser apresentados ao mesmo tempo em unidades distantes, ampliando o alcance de um treinamento.

Outro ponto que precisa ser considerado é que, quando a empresa estrutura seu onboarding ou treinamento em vídeo, ela respeita a trajetória individual do colaborador. Ele não perde o conhecimento transmitido em ciclos anteriores, pois aquele conteúdo faz parte de uma grade que fica disponível para acesso no momento necessário.

 

Como os profissionais de RH podem acompanhar essa evolução?

 

Não faz sentido que, com tantas opções tecnológicas proporcionadas pela transformação digital no RH, as empresas continuem operando da mesma maneira. Elas podem implementar soluções capazes de causar um grande impacto na produtividade e adotar uma postura mais estratégica.

Veja o que os profissionais deste departamento devem fazer para acompanhar essa evolução:

 

Promover mudanças na jornada de trabalho e adotando horários flexíveis

 

A conectividade permitida pela transformação digital possibilita a flexibilização das relações de trabalho. Em muitas funções, o colaborador pode atuar em horários diferentes. Outras vezes, é possível realizar suas atividades parcial ou integralmente de forma remota.

Jornadas, ambientes e até vínculos flexíveis estão transformando a rotina de muitas empresas. Na maioria delas, o resultado é o aumento da produtividade e satisfação do colaborador, além e uma significativa redução de custos proporcionada pela transformação digital no RH.

 

Aperfeiçoar o lado analítico e estratégico do RH

 

À medida que a tecnologia realiza as tarefas operacionais, os profissionais ganham tempo para analisar dados e assumir uma postura mais estratégica. Portanto, a transformação digital no RH não deve ser vista apenas como uma oportunidade para reduzir o pessoal que atuava em funções burocráticas. Seu papel é, principalmente, tornar a gestão dos recursos humanos completamente data driven (direcionada por dados).

Com a análise dessas informações, o RH pode identificar padrões de comportamento e desempenho. Com eles, será possível desenvolver ações efetivas para solucionar os maiores problemas das empresas. Iniciativas para reter talentos, suscitar lideranças e aperfeiçoar o recrutamento são apenas alguns exemplos de atividades passíveis dessa transformação.

 

Aproximar-se das áreas de TI

 

A transformação digital no RH levará as empresas a um novo patamar. Isso criará demandas que só podem ser solucionadas com uma parceria entre o gestor de recursos humanos e o profissional de TI. Um dos exemplos é a flexibilização, já comentada em um tópico anterior. Ela exigirá o desenvolvimento de ferramentas que contribuam para a eficiência do trabalho e colaboração remota entre os times.

A tendência é que as empresas desenvolvam sistemas e aplicativos para monitorar a performance dos colaboradores nesse novo cenário. Criados pelos profissionais de TI, esses recursos permitirão analisar o desempenho dos funcionários, visualizar dados, intervir em projetos e melhorar os resultados da equipe.

 

Adaptar-se à ferramentas que substituem a burocracia e papelada

 

Mas se todas essas possibilidades já existem, por que ainda muitos departamentos funcionam de forma arcaica? Muitas vezes, essa situação deve-se à dificuldade de adaptação às novas ferramentas, seja por falta de conhecimento ou por uma certa resistência às mudanças.

Considerando que esse aspecto depende única e exclusivamente da disposição do elemento humano, a viabilização da transformação digital no RH está ligada à conscientização desses profissionais. É importante que eles entendam que, ao se adaptarem às novas ferramentas, eles terão a oportunidade de desempenhar um papel muito mais estratégico nas organizações. O resultado será o melhor desempenho para os negócios e a devida valorização desses profissionais.

 

Este conteúdo foi produzido em parceria com a VidMonsters. Se quiser saber mais sobre estratégia de vídeo marketing, não deixe de acessar nosso blog.

Veja também

Comentários

comentários