Skip to main content
homem oriental olhando para o computador

Quando e como implementar Big Data?

Recentemente a NewVantage Partners publicou sua 7ª pesquisa executiva anual sobre a adoção de Big Data nos negócios.

Neste ano, os executivos C-level entrevistados correspondem a 97,5% dos participantes e as mais de 60 companhias consultadas listam na Fortune 1000, ou são líderes em seu setor.

A pesquisa revela dificuldades e desafios enfrentados pelas organizações ao implementar Big Data.

Também cita os principais fatores identificados como impeditivos ao sucesso de projetos e estabelece o estado destas empresas frente à implantação de uma cultura Data Driven.

Motivações para implantação de Big Data na empresa

empresário conferindo relatórios

Na pesquisa, há consenso um a respeito do principal motivador de investimento em Big Data.

Mais de 90% das organizações reconhecem a transformação do negócio e maior agilidade como principais motivadores das iniciativas, pois isso as permitirá operar de forma mais competitiva.

Apesar das firmas observarem economias, menos de 5% apontam a redução de custo como um motivador.

Cerca de 90% dos executivos reportam aumento dos investimentos e crescimento da urgência destes em projetos Big Data, porém, 3/4 dos Entrevistados apontam o medo de forças disruptivas e de concorrentes como um motivador para os projetos.

Em resumo: Nota-se que as organizações estão dando urgência aos projetos e investimentos em Big Data a fim de evitar concorrência e possibilitar maior agilidade ao negócio, muitas vezes, motivadas por medo à disrupção provocada por agentes externos.

A base para um projeto de Big Data

equipe analisando projeto de big data

Lide com os erros de um projeto de big data

O sábio aprende com o erro dos outros.

É confirmado pelos dados que implementar iniciativas Big Data e obter valor de negócio mensurável nesta área é uma jornada de alguns anos.

Mais de 75% dos executivos da pesquisa da NewVantage relatam que a adoção de Big Data permanece um desafio em suas empresas.

Seria ótimo se, implantar Big Data fosse plug and play: basta instalar e pronto, faturamento em dobro!

O que ocorre na verdade é que o medo da disrupção e concorrência geram uma corrida frenética contra o desconhecido, embalada por investimentos e ansiedade executiva elevados e, quando o projeto falha, o que resta é frustração.

É importante mentalizar, que: Ninguém disse que seria fácil, muito menos rápido.

Os maiores desafios de um projeto de big data

O que faz da adoção de Big Data tão difícil?

Na pesquisa, os executivos citam como principais fatores as questões organizacionais e de cultura, não de tecnologia.

Apenas 5% dizem respeito à tecnologia, 7% à liderança executiva, 13,9% em entender os dados como um ativo, 23,6% à resistência cultural e, por último e o mais interessante, a falta de agilidade organizacional com 40,3%.

O principal fator relatado como obstáculo à adoção é a falta de agilidade, ao passo que o maior motivador para projetos Big Data é justamente a busca por agilidade. Um cenário paradoxal, onde para atingir-se uma qualidade é preciso possuí-la primeiro.

>> Leitura recomendada: Os maiores desafios e lições na implementação de big data

Cultura data driven é uma necessidade

Para obter a almejada transformação e agilidade no negócio é necessário estabelecer primeiramente um alinhamento organizacional ágil, disseminar as práticas de uma cultura Data Driven.

Ou seja, para ser ágil das portas para fora, precisa-se primeiro ser ágil das portas para dentro.

Antes de pensar em implantar big data, façamos algumas perguntas:

Faz sentido um projeto que integre dados de diferentes setores de uma empresa na qual a comunicação entre estes não é natural?

Faz sentido um projeto inovador num ambiente onde os funcionários são resistentes à inovação?

Faz sentido trabalhar com dados se as pessoas sequer percebem que aquilo tem valor?

A resposta para todas as perguntas é um categórico não.

A conclusão é que, se você não tiver criado uma base cultural data driven, talvez tenha não tenha a mesma eficiência ao implantar um projeto de big data. Pense nisso, antes de correr com o projeto.

Pense: qual a motivação para o projeto?

Se você está fazendo simplesmente porque outro também está, há algo errado.

Tudo começa pelo objetivo, um objetivo real e mensurável, não um projeto abrangente tirado da cartola por medo ou receio e que ‘talvez’ dê retorno.

Observar a concorrência é parte importante para o sucesso do projeto. É só a partir dessa observação que obtém-se a informação para traçar um objetivo tangível.

Não vá pelos ‘gut feelings’.  

Com o objetivo em mente desenvolve-se um piloto que é apresentado aos executivos para provar seu valor. É de extremo valor ter o apoio executivo, pois este projeto não é barato e tocará em várias partes da organização.

Tenha um CDO

Quer implementar Big Data e não tem CDO? Designe um profissional para esta posição.

Esclareça o papel do Chief Data Officer por toda a companhia, dando a este o ferramental e respaldo executivo para execução de atividades.

Até então o papel do CDO não está claro para as organizações, algumas enxergam que é um trabalho para um agente externo, outros sequer compreendem a responsabilidade da posição.

É responsabilidade do CDO, por exemplo, estabelecer uma política de governança de dados.

Como implementar Big Data?

profissional apresentando um projeto

Escolha as Fontes de Dados

Inicie com seu Datawarehouse atual, identifique fontes de dados adicionais e comece a avaliar a tecnologia a ser adotada. Obtenha aprovação para pesquisar qual se encaixa melhor a sua demanda.

Pense no Negócio

O que posso fazer com essas fontes de dados para melhorar a experiência dos meus clientes, por exemplo? Se eu tiver a localização de um cliente próximo a uma nova loja da rede, posso enviar um cupom de desconto para que ele vá até a loja conhecê-la.

Um passo de cada Vez

A ansiedade e sentimento de urgência sempre existirão, é natural do negócio.

Iniciativas de Big Data são extensas, mas com certeza precisa-se começar de algum lugar e ir evoluindo. Então, ao invés de conduzir o projeto até o final sem apresentar resultados, procure fazer releases de tempos em tempos.

Isso alivia a tensão executiva, consegue-se feedback sobre o trabalho realizado e dá credibilidade ao time.

Se por exemplo o projeto for de integração de dados dos vários setores de uma empresa, dificilmente a empresa estará 100% receptiva ao projeto. Sim, a resistência sempre existirá.  

Neste caso, o projeto pode-se iniciar por um setor específico e depois ir migrando para os outros. Talvez não seja a melhor decisão você tentar educar toda a empresa de uma única vez. Vá aos poucos.  

A probabilidade de sucesso quando o projeto é implantado por partes é maior e isso também ajuda na conversão das pessoas a uma cultura orientada a dados.

Orientação a Dados

Promova as decisões baseadas em dados por toda a organização desde o início ao fim da cadeia. Essa colaboração e entendimento são essenciais para o sucesso do projeto.

Testar, Medir e Aprender

Para cada conjunto de dados teste suas suposições, mensure os resultados e as ajuste conforme necessário.

Pode-se, por exemplo, disparar uma campanha de marketing com mensagens variadas e promover somente aquelas que tiverem melhor performance.

Em resumo, no final tudo se resume a pessoas

equipe em um escritório

O ambiente da organização deve estar propício ao desenvolvimento do projeto. Trata-se da disseminação da cultura orientada a dados, mudar o mindset do “eu acho” para “eu tenho certeza”.

Esclarecer a todos, que os dados possuem valor, promover a sinergia e comunicação transparente, para que isso não seja entrave à execução de projetos futuros.

Garanta que os executivos apoiem o projeto, deem respaldo e responsabilidade ao CDO e tomem decisões baseadas em dados, não somente baseados em sentimento.

É isto 🙂


Quando e como implementar Big Data?
5 (100%) 10 votes