governanca-de-dados

A importância da Governança de Dados

Governança é relativo ao ato de governar, ou seja: administrar, regular, conduzir determinada atividade. Criar regras, verificar se elas estão sendo executadas, rever essa regras, garantir o pleno funcionamento de determinado setor ou atividade.

Dados são os registros de eventos, transações, atributos de processos ou atividades, que, posteriormente, irão virar informação para gestores tomarem decisões. 

Quando falamos sobre dados em uma empresa, é comum citar relatórios diários, reuniões com power point, dashboards, e-mails, entre outros.

Não importa o formato, toda e qualquer empresa usa informação para tomar decisões.

O que é Governança de dados?

Governança de dados é olhar para todo ciclo de vida da informação na empresa, desde como ela é inputada em algum sistema, como é tratada e carregada em outros, quem tem acesso a essa informação, quem não deve ter e como essa informação é apresentada para cada usuário final. 

Ou seja, governança de dados é assegurar integridade, segurança, qualidade e acessibilidade dos seus dados.  

O caos na governança de dados

O cenário atual das empresas é uma quantidade imensa de dados sendo produzidos por diversos sistemas diferentes, muitas vezes sem parar, 24 horas por dia.

A quantidade de dados vem crescendo de forma exponencial. Frequentemente, os sistemas apresentam valores diferentes para mesma informação, cada analista preenche dados de forma ímpar nos seus sistemas, os processos são mal desenhados…

Inegavelmente, isso gera divergência e falta de credibilidade na informação.

Por que pessoas de diferentes áreas possuem números sensíveis como o faturamento da empresa? Porque não há pessoas dedicadas full-time para assegurar a integridade, segurança e disponibilidade desses dados.

O descuido com a governança de dados

Nesse sentido, governança é um dos tópicos mais sensíveis das empresas num geral e, mesmo assim, é frequentemente negligenciado.

Isso acontece por não ser uma área tão sexy como ciência de dados, inteligência artificial ou outras buzzwords que tem levado muitos dígitos nos orçamentos.

Muitas vezes, temos regras de negócios e processos mal (ou sequer) documentados, o que gera uma dependência humana muito alta.

Quantas pessoas não podem tirar férias porque só elas conseguem realizar determinado processo? Quantas vezes você precisou de uma informação e não pode ter na hora porque determinada pessoa não estava disponível? 

Imagine que uma empresa é como uma estrada, onde os carros são a informação passando entre as pessoas. Uma empresa sem governança de dados é como uma estrada sem semáforos, sem regras, sem policiamento, sem placas. Muitos acidentes irão acontecer e o caos irá prevalecer. 

Benefícios de ter uma governança bem definida

Redução de custos

A governança elimina o risco da perda de um dado ou de quebra de um processo. Isso acontece com frequência quando alguém deleta algo que nem deveria ter acesso. 

Quando uma falha dessa acontece em produção, muitos funcionários da empresa precisam parar o que estão fazendo para apagar um fogo que teria sido facilmente evitado com governança.

Além disso, a governança de dados acelera o acesso à informação de qualidade. Isso gera economia de tempo e, consequentemente, de dinheiro.

Assertividade da informação

Quando os processos, dados e sistemas são bem mapeados, catalogados e gerenciados, você vai ter muito mais confiança na informação que apresenta para sua gerência.

Quando pessoas estão ativamente acompanhando se todos os processos estão ocorrendo da forma que deveriam ocorrer, os dados são mais confiáveis.

Tirar dependência humana

Muitas vezes, a localização de uma informação está na cabeça de um funcionário. Isso é péssimo porque tira a “democratização” da informação da empresa.

É como se você adicionasse uma burocracia humana para chegar a uma determinada informação. Isso gera reuniões e alinhamentos para tratar de algo que não foi bem documentado e que poderia ser oferecido de forma simples.

Quando você investe em catálogos de dados ou mapeamento de processos, você dá liberdade para as pessoas entenderem e localizarem informações sem a necessidade de outro humano, democratizando a informação na sua empresa.

Controle e segurança na informação

Se você não tem regras e métodos para os dados e processos que fluem na sua empresa, eles estão vulneráveis.

Quando falamos que dados são um dos ativos mais importantes da empresa, é uma afirmação séria!

Pense comigo, você deixaria um cofre aberto com dinheiro na recepção da sua empresa? Por que faria isso com dados extra sensíveis? 

Além disso, já está em vigor a LGPD no Brasil. Por certo, devemos parar de tratar a segurança da informação como um luxo e vê-la como uma necessidade básica de toda e qualquer empresa.

controle-e-seguranca-da-informacao

Como começar implementar a governança de dados

Comece pequeno e tenha objetivos claros

Não tente aplicar governança de dados em toda a empresa de uma vez. Mapeie o departamento que irá trazer mais valor agregado ao ter essa governança. Faça o reconhecimento do território, entenda os problemas, documente as descobertas e fragilidades.

Após isso, defina objetivos claros, mensuráveis e um prazo para dar os próximos passos.

Mapeie todas bases de dados, sistemas, processos, usuários

Você vai precisar documentar esses mapeamentos. Além disso, essa documentação precisa ser viva, frequentemente atualizada e também altamente disponível, além de ser algo convidativo para ser usado.

Defina os padrões

A partir desse momento, com tudo mapeado e objetivos claros, é necessário criar guias e padronizações para os processos. Essa documentação de padronização também deve ser viva, frequentemente atualizada e convidativa.

Inicie a implementação e correção do que não estiver no padrão

Após ter os padrões e os mapeamentos, você pode montar cronogramas e implementações para deixar os processos, pessoas e sistemas alinhados aos padrões que você definiu que usaria.

Repete 

Assim como em qualquer projeto, é necessário fazer mudanças e melhorias incrementais. Tudo é teste, feedback e melhora, e assim se repete.

A governança, assim como qualquer processo, deve ser viva e interativa, sempre melhorando e se adaptando as necessidades dos consumidores, órgãos e da própria empresa.

Previsões de futuro para o mercado de governança de dados:

previsao-para-mercado-governanca-de-dados

A curva de crescimento de dados é exponencial, logo a gestão e governança desses dados também deveria ser.

Hoje, empresas desenvolvem diversos projetos de visualização, de consumo de dados, de tratamentos diferenciados, entre outros. Em contrapartida, o investimento em governança é baixo, sendo negligenciado. 

Conclusão

A governança de dados é o pilar para a confiança dos seus dados. Toda ciência de dados, business intelligence ou inteligência de mercado se torna perigosa ou até inútil se você não pode garantir a acuracidade da sua informação. 

Além de promover valor interno para empresa, a governança de dados também é fundamental para seu relacionamento com consumidor final.

É provável que você detenha dados sensíveis de seus clientes e deve garantir que esses dados sejam corretamente usados e armazenados pela sua empresa.

Compartilhar
You May Also Like