GitHub Copilot: tudo sobre a ferramenta de IA do GitHub

Já pensou como seria poder contar com a ajuda da Inteligência Artificial (IA) na hora de construir ótimos softwares e aplicações? Bom, essa é justamente a proposta do GitHub Copilot, assistente de programação que acaba de chegar ao mercado.

Pertencente ao GitHub, plataforma de hospedagem de código-fonte e arquivos com controle de versão usando o Git, o GitHub Copilot é capaz de sugerir códigos em tempo real. 

Isso mesmo: após ser usada com sucesso para escrever redações, criar listas de compras, responder mensagens de forma automatizada, entre outras aplicações, chegou a vez de a IA facilitar o dia a dia de quem trabalha com desenvolvimento. 

Quer saber melhor como a ferramenta funciona e até que ponto ela é confiável? Então vem com a gente!

Esses são os Comandos Git mais utilizados e como configurar

O que é o GitHub Copilot e como ele funciona?

Segundo a própria definição do GitHub, o GitHub Copilot é um programador de pares de IA que ajuda os profissionais da área a escreverem códigos de forma mais rápida e menos trabalhosa

Ele faz isso ao extrair o contexto de comentários e códigos e sugerir linhas individuais e funções inteiras instantaneamente. 

Esse contexto, por sua vez, é retirado do próprio arquivo que está sendo editado, bem como de arquivos vizinhos ou relacionados dentro de um projeto e de URLs de repositórios. 

O GitHub Copilot foi desenvolvido em parceria com a OpenAI, empresa focada em projetos de Inteligência Artificial e que criou inclusive o modelo de linguagem pré-treinado generativo usado na ferramenta – o Codex.

Saiba tudo sobre Github: o que é e como usar?

Quais as vantagens de usar a ferramenta

Programador utilizando o Github Copilot
Veja agora porque utilizar o Github Copilot e como ele pode ajudar no desenvolvimento do seu código.

Como você viu até aqui, o Copilot do GitHub tem como objetivo principal contribuir com o desenvolvimento de softwares de excelência. E, para isso, ele se apoia em três vantagens principais:

  1. Possibilidade de obter diversas sugestões de códigos baseados em IA, que correspondam ao contexto e às convenções de estilo do projeto. Cabe ao desenvolvedor decidir quais sugestões irá aceitar, rejeitar ou até mesmo editar;
  2. Integração com os editores mais populares do mercado, incluindo o Visual Studio Code, Visual Studio, Neovim e o conjunto JetBrains de ambientes de desenvolvimento integrados (IDEs);
  3. Confiança para codar até mesmo em cenários desconhecidos, incluindo idiomas, linguagens de programação e estruturas com as quais o desenvolvedor ainda não esteja 100% familiarizado. 

Em suma, a proposta do GitHub Copilot é fazer com que os desenvolvedores percam menos tempo criando padrões de código e, assim, possam se concentrar em resolver problemas mais complexos. 

Para extrair o máximo da ferramenta, a dica é dividir o código em pequenas funções, usar nomes significativos para parâmetros de funções e escrever boas docstrings e comentários à medida que avança.

As sugestões do GitHub Copilot são confiáveis?

Embora a Inteligência Artificial seja comprovadamente capaz de nos ajudar em muitas esferas, é natural que o seu uso seja acompanhado por um pouco de “pé atrás”, não é mesmo? 

Inclusive, uma das principais dúvidas que giram em torno do GitHub Copilot, desde que ele foi anunciado, gira em torno da qualidade dos códigos sugeridos pela IA. 

Com relação a esse assunto, o GitHub deixa claro em seu site que a ferramenta não foi criada para escrever o código perfeito, mas sim para gerar o melhor código possível conforme o contexto ao qual ele tem acesso.

Ou seja: como qualquer outro código, o código sugerido pelo GitHub Copilot deve ser cuidadosamente testado, revisado e verificado pelo desenvolvedor – que continuará no comando do projeto! 

Para trazer um panorama mais claro do que esperar ao utilizar a solução, vamos a alguns números… 

Em uma avaliação recente, o GitHub afirmou que os usuários aceitaram em média 26% de todas as conclusões mostradas pelo GitHub Copilot. 

O levantamento também identificou que, em média, mais de 27% dos arquivos de código dos desenvolvedores foram gerados pelo GitHub Copilot e, em certas linguagens, como Python, a porcentagem chega a 40%

Bem legal, né?

👉 Diferenças entre as abordagens de Aprendizagem de Máquina

É preciso se preocupar com o GitHub Copilot?

Programador digitando código
No final do dia, o que importa é a sua habilidade e conhecimento em programação. Nada de se apoiar em códigos gerados por IA’s!

É natural que muitos desenvolvedores sintam-se apreensivos ao ouvirem falar sobre uma ferramenta de IA voltada para a programação. Alguns, inclusive, chegaram a se questionar sobre o risco de ter os seus trabalhos automatizados pelo GitHub Copilot.

Se esse é o seu caso, pode respirar aliviado: o objetivo da solução é apenas otimizar o tempo dos desenvolvedores (tanto dos novos quanto dos mais experientes) e não substituí-los!

Como dissemos no tópico acima, ainda será preciso avaliar com afinco cada uma das sugestões feitas, a fim de confirmar se elas realmente fazem sentido – o que inclui a realização de testes rigorosos, verificação de IP e verificação de vulnerabilidades de segurança.

Isso reitera, inclusive, que o conhecimento aprofundado sobre programação é indispensável. Se você deseja se tornar um bom profissional e se destacar no mercado, nada de usar a IA como muleta para não seguir se aprimorando, ok? 

E ah! A empresa responsável pela ferramenta diz acreditar que ela tem o potencial de reduzir as barreiras de entrada na área, permitindo que mais pessoas explorem o desenvolvimento de software e se juntem à próxima geração de desenvolvedores. 

Chegou a hora da verdade… Bitbucket vs GitHub: quem vence a batalha?

Como fica a questão da privacidade no GitHub Copilot?

Uma vez que o GitHub Copilot depende do conteúdo do arquivo e dados adicionais para funcionar, muitos desenvolvedores têm levantado dúvidas sobre o compartilhamento e segurança das informações inseridas na ferramenta. 

Para esclarecer esse ponto, vamos explicar melhor como isso funciona…

Basicamente, o Copilot coleta dados de envolvimento do usuário e de trechos de códigos, tanto para fornecer o serviço quanto para realizar análises adicionais e permitir melhorias.

No entanto, como as ações de edição do usuário, trechos de código-fonte e URLs de repositórios e caminhos de arquivo são dados confidenciais, o GitHub toma uma série de medidas a fim de proteger as informações transmitidas, como:

  • Criptografia dos dados em trânsito e em repouso;
  • Acesso estritamente controlado; 
  • Controles de acesso baseados em função e autenticação multifator.

Todas as práticas seguem a Declaração de Privacidade do GitHub. Vale a pena dar uma olhada antes de começar a se aventurar pelo assistente de programação! 

Como começar a usar essa ferramenta? 

Agora que já explicamos como o GitHub Copilot funciona e esclarecemos as principais incógnitas em torno da ferramenta, chegamos à pergunta que não quer calar: como começar a usá-la de fato?

Primeiramente, você precisa saber que o novo assistente de programação com IA do GitHub não é gratuito para a grande maioria dos usuários. 

No geral, os profissionais precisam pagar uma taxa mensal de US$ 10 (cerca de R$ 50) ou US$ 100 anuais (cerca de R$ 500) para utilizá-lo. Antes disso, no entanto, é possível realizar um teste gratuito de 60 dias, por meio do site: https://github.com/features/copilot/ 

Por sua vez, estudantes verificados e mantenedores de projetos de código aberto populares podem se candidatar para usar a solução sem pagar nada.

A princípio, essa oportunidade será oferecida para cerca de 60 mil desenvolvedores selecionados e alunos do projeto GitHub Education.

Pronto, agora você está pronto para aproveitar todas as vantagens do GitHub Copilot! Se for começar a testar a ferramenta, não se esqueça de voltar aqui depois e nos contar o que achou nos comentários, ok? Vamos ficar esperando!

Compartilhar
You May Also Like