pessoa mexendo em notebook vendo seu currículo de programador

Como criar um currículo matador como programador?

O currículo de um programador é a porta de entrada para uma nova empresa ou oportunidade de trabalho. É a partir dele que você pode chamar a atenção dos recrutadores e ir avançando nas etapas iniciais dos processos seletivos.

O currículo de um programador segue sendo a principal porta de entrada para uma nova empresa ou oportunidade de trabalho... Mas, para que isso de fato aconteça, é preciso que ele reúna os elementos certos.

Leia cada tópico com atenção e aumente suas chances de sucesso em processos seletivos.

Se você é programador, entende a importância deste documento e está em busca de um modelo de currículo 2022 para chamar de seu, então o post de hoje é para você!

Como fazer um currículo para programador

O currículo é o pontapé inicial e a porta de entrada para a entrevista em seu próximo ambiente de trabalho.

Mas, antes de sair buscando um modelo de currículo para programadores por aí, é importante que você saiba seu objetivo e o que é preciso para atingi-lo.

Por exemplo: de nada adianta fazer um currículo enorme, com todos os seus conhecimentos e experiências, se a vaga para a qual você deseja se candidatar exige habilidades específicas.

No geral, os recrutadores esperam que o profissional selecione as melhores habilidades para a vaga em questão

Logo, se você possui outras habilidades que não vão ao encontro da vaga, pode deixar para falar sobre elas em outro momento – como na hora da entrevista

O segredo está em saber adaptar o documento de acordo com a oportunidade que você almeja e não, necessariamente, seguir à risca o “melhor modelo de currículo 2022” que encontrar.

Dito isso, confira algumas dicas que farão a diferença na elaboração de um bom currículo de programador!

Etapa 1 – A aparência do seu currículo de programador

desing do currículo de programador
O design do currículo é um ponto muito importante para destacar as informações.

Seu currículo de programador deve ser apresentável, ou seja, design também é importante.

Pense que o recrutador recebe dezenas de currículos diferentes para cada vaga criada, cada um com detalhes sobre habilidades, formações e experiências específicas…

Caso não haja uma atenção especial por parte dos candidatos, esse tanto de informação pode sobrecarregar a capacidade do recrutador avaliar todos os currículos recebidos. 

E é claro que você não quer que logo o seu seja descartado na primeira olhada, certo?

O design é uma peça chave para que você consiga facilitar o trabalho do recrutador e, ao mesmo tempo, se destacar em meio aos demais.

Pode acreditar: organizar as seções e partes do seu currículo para criar uma boa linha de raciocínio pode fazer toda a diferença para você ser aprovado na etapa de triagem!

Para os componentes visuais, você pode seguir as dicas abaixo:

  • Use uma fonte com boa leitura, como Arial, Calibri, Garamond, Cambria, Didot, Georgia e Helvetica;
  • Utilize os recursos de negritoitálico e sublinhado a seu favor, mas sempre com equilíbrio e da maneira correta;
  • Não utilize a fonte com tamanho menor que 10 e dê um respiro nas margens de 2,5 cm. Para o espaçamento de linha, o tamanho 1,15 é o bastante;
  • Tente organizar todas as informações em, no máximo, duas páginas. O segredo é ser objetivo e manter as seções bem separadas.

Para finalizar esse tópico sobre o design, queremos chamar a sua atenção para uma dúvida recorrente: será que é preciso adicionar uma foto ao currículo?

Bom, a verdade é que essa é uma questão bastante controversa… 

Algumas referências não indicam o uso de imagem para evitar enviesamento ou mal entendido. Já outras dizem que esse é um recurso que pode fazer com que o recrutador se sinta mais conectado ao candidato.

Sendo assim, não há uma sugestão definitiva sobre o assunto. O mais indicado é que cada candidato avalie se haverá de fato uma vantagem em adicionar a própria foto ao currículo quando for se inscrever para uma vaga.

Etapa 2 – O cabeçalho do currículo de programador

Agora que você já está ciente sobre os pontos anteriores, podemos passar para a parte escrita do modelo de currículo de programador, a começar pelo preenchimento do cabeçalho.

Essa seção deve ser simples e direta, tanto para não ocupar muito do tempo do recrutador quanto para não tirar o foco dele do que é realmente importante.

A sugestão é que você coloque seu nome com uma fonte maior que o restante do cabeçalho, para destaque. Em seguida, adicione a sua área de atuação (Pessoa Desenvolvedora Full-stack, Front-End, Back-End, Tech Lead, Data Science, Mobile…).

Logo após, insira o endereço e os dados de contato principais, como email, telefone e site pessoal, se houver.Aproveite também para colocar seus links de LinkedIn e GitHub. Você quer ser encontrado e contatado, certo?

Etapa 3 – Objetivo ou resumo profissional do seu currículo de programador

Neste ponto, você irá escrever a apresentação ideal de quem você é e de suas conquistas profissionais.

Esse ponto pode te fazer ganhar alguns pontos com o recrutador se ele conseguir visualizar que você é o profissional ideal para a vaga, por isso, capriche!

O segredo, como já dissemos, é adequar esse trecho aos requisitos da vaga que você está aplicando, conforme a sua experiência.

Se você tem 2+ anos de experiência, por exemplo:

Você pode iniciar o resumo com seus pontos mais fortes, destacando conquistas e/ou competências, além de alguma experiência relevante. Além disso, também é legal incluir 3 ou 4 pontos que estão na descrição da vaga para mostrar que você é o candidato ideal!

Se você possui pouca experiência profissional:

Você pode destacar seus aprendizados mais expressivos, que inclusive podem ter sido adquiridos através da graduação, cursos, palestras, etc. Também é importante listar suas habilidades que mais contribuirão para a empresa!

Quer um exemplo? Então toma:

Desenvolvedor dedicado com 4 anos de experiência. Tenho experiência em Java, Python e C#, programando diversos tipos de aplicações para os clientes da Empresa X, desde soluções financeiras até aplicações desktop. Com foco em otimizar processos, reduzi o tempo de testes em 20%, sem perder qualidade. Na sua empresa, buscarei oportunidades semelhantes para otimizar processos.

Lembre-se de nunca copiar resumos e objetivos, seja sempre autêntico e transmita a sua essência na hora. Por fim, lembre-se de nunca copiar resumos e objetivos, ok?

Ser autêntico e transmitir a sua essência na hora de se vender para uma empresa seguem sendo pontos indispensáveis para conquistar a vaga dos sonhos.

Etapa 4 – Experiências profissionais e acadêmicas em um currículo de programador

Na hora de construir essa seção, você deve se atentar à ordem cronológica inversa das suas experiências e formação. Ou seja, a experiência mais recente vem antes!

Além disso, há alguns outros cuidados necessários na hora de organizar as informações. Na sequência, vamos falar sobre eles:

Experiêncais profissionais

Essa é uma informação muito importante para destacar no seu currículo de programador. Afinal, é justamente aqui que o recrutador concentrará os maiores esforços para reconhecer o tipo de profissional que você é.

Para citar as suas experiências, comece com o cargo, em um tamanho ligeiramente maior que o restante (para maior destaque), seguido pelo nome da empresa e o período de entrada e saída da vivência.

Caso você conte com pouca experiência, cada linha desta seção vale muito, por isso, você pode adicionar dados extras, como bullet points das principais responsabilidades e conquistas. 

Lembre-se de utilizar números e verbos de ação nesses pontos!

Experiência acadêmicas

Já para a experiência educacional, o mais importante é apresentar o nome do curso e grau conferido, nome da instituição, data de conclusão e data de início do curso.

Essas informações são o suficiente para que os recrutadores entendam seu momento acadêmico, portanto, não há necessidade de se aprofundar muito.

Agora, se você possuir pouca experiência profissional e sua experiência acadêmica for o principal, você pode adicionar informações extras como:

  • Carga horária;
  • Notas (se forem destaque);
  • Matérias relevantes para a vaga;
  • Alguma matéria optativa que faça sentido e;
  • Seu TCC, se estiver nessa fase da graduação.

Aqui também é o local para você inserir os cursos que estão em andamento, desde que eles sejam relevantes para a vaga aplicada.

Para isso, basta seguir o exemplo da experiência acadêmica, mas, ao invés de colocara data de finalização, coloque “Em andamento” e especifique a carga horária total do curso.

Vagas para desenvolvedores nas empresas mais desejadas, confira agora!

Etapa 5 – Habilidades e competências no currículo de programador

competências currículo de programador

Chegamos à etapa em que o seu currículo de programador deve brilhar! Afinal, as competências e habilidades são determinantes nos processos seletivos.

Para acertar nas habilidades e competências, siga essas dicas:

  • Primeiramente, enumere todas as habilidades que você possui como desenvolvedor de software, incluindo suas stacks e tudo mais que for relevante no ambiente de tecnologia;
  • Depois, enumere também as suas habilidades comportamentais, mais conhecidas como soft skills
  • Na sequência, avalie a vaga e selecione somente as habilidades que mais fazem sentido para destacar no currículo.

E ah! Caso você não tenha confiança em trabalhar com alguma linguagem, mas não gostaria de deixá-la fora do currículo, você pode dividi-las em Forte e Conhecedor.

Por exemplo, se você tem experiência em programar em Java e Python, mas tem um conhecimento superficial de PHP, Ruby e Node.js, não é aconselhável colocar no currículo:
Linguagens de programação: Java, Python, PHP, Ruby e Node.js”.

Para mostrar que você possui conhecimentos suficientes para trabalhar com todas essas linguagens, o mais indicado é separar as informações da seguinte forma:

“Linguagens de programação:
Forte: Java e Python.
Conhecedor: PHP, Ruby e Node.js.”

Lembre-se de nunca se classificar como iniciante ou especialista. Aprendizados iniciais não qualificam um conhecimento e se perguntarem por isso, você terá que se virar, pois estava em seu currículo de programador.

Da mesma forma, você já viu um especialista (de verdade) sair por aí dizendo que é especialista nisso ou naquilo? Dificilmente, pois os que eu conheço sempre reforçam que há muito mais a se aprender, independente da experiência.

Dicas de como colocar as linguagens de programação no currículo

Além dos pontos citados acima, sobre não se nomear especialista ou iniciante e separar os seus conhecimentos em Forte e Conhecedor, temos mais algumas dicas que podem auxiliar na construção do seu currículo.

São elas: 

1°: cite, descreva, nomeie ou sinalize de alguma forma de onde vem o conhecimento sobre cada linguagem que você colocar no currículo.

O recrutador precisa entender de onde vem a sua habilidade com determinada linguagem. Você pode adicionar isso nas experiências profissionais ou, então, na etapa de informações adicionais (que vem a seguir).

Informe a leitura, o curso e carga horária de conclusão, seus projetos pessoais e o que mais indicar os seus anos de experiência na linguagem.

2°: Ordene essas habilidades/linguagens por ordem de importância de acordo com a vaga para a qual você está se candidatando.

Após excluir as habilidades que não fazem sentido para a vaga, você pode criar uma sequência delas para facilitar o reconhecimento da sua gama de competências!

Etapa 6 – Informações adicionais no currículo de programador

Se você fez pesquisar sobre “modelo de currículo 2022” na internet, provavelmente encontrará algum exemplo que conta com todos os pontos que mencionamos até aqui. 

De fato, todas as seções apresentadas acima são bem tradicionais… Porém, isso não significa que você precisa ficar preso a elas! 

Caso tenha informações sobre você que são pertinentes à vaga, mas não se encaixaram nas seções anteriores, é totalmente possível fazer capítulos específicos para incluí-las.

Alguns exemplos de seções extras são:

  • Prêmios;
  • Certificados;
  • Voluntariado;
  • Projetos paralelos;
  • Publicações.

Ou então você pode simplesmente criar uma seção chamada “informações adicionais” no final do seu currículo de programador e colocar todos esses itens que não se encaixam nas seções anteriores.

Certificação em TI: algo essencial ou capricho do mercado?

Modelos de currículo para baixar, editar ou se inspirar

Agora que você já sabe quais as informações mais importantes que um currículo deve ter, separamos alguns exemplos de currículo de programador que também podem servir de inspiração.

Modelo de currículo 2022 com um layout mais sóbrio:

Exemplo de um layout mais sóbrio

Modelo de currículo 2022 com uma aparência mais “tech”:

Currículo com uma aparência mais voltada ao ambiente de tecnologia

Modelo de currículo simples, com um ar mais leve e com foto:

curriculo-com-foto-designer-de-software
Exemplo simples com um ar mais leve e com foto

Modelo de currículo simples, sem foto:

curriculo-simples-sem-foto
Currículo simples sem foto

Todos os exemplos de currículos apresentados acima foram desenvolvidos na plataforma de edição do Canva. Inclusive, você pode encontrar esses templates por lá e editá-los (gratuitamente) com as suas informações!

Além dessa possibilidade, também selecionamos outras duas opções de modelo de currículo, sugeridas por consultorias de RH renomadas, nas quais você pode se inspirar caso esteja iniciando sua carreira como programador:

*Lembre-se de fazer uma cópia desses modelos para o seu Drive!

Modelo de currículo para estágio e trainee (Cia de Talentos);

Modelo de currículo para posições iniciais (Robert Half).

Prontinho, com tantas alternativas e dicas em mãos, agora é só começar!

Como colocar o GitHub no currículo?

Antes de nos despedirmos, precisamos falar sobre as ferramentas de social backup storage. O GitHub, por exemplo, tem sido cada vez mais utilizado pelos recrutadores tech na hora de analisar as hard skills dos candidatos.

As empresas querem ver o que você criou e como você construiu. E a melhor maneira de fazerem isso é dando uma olhadinha no seu portfólio.

Github: o que é e como usar

No universo do desenvolvimento, muitos profissionais já entenderam isso e passaram a usar o GitHub para organizar projetos e usá-lo como uma espécie de currículo 2.0. 

Isso mesmo: mais do que um repositório de armazenamento, o GitHub funciona como um portfólio que pode ser acessado por qualquer pessoa. Por esse motivo, é preciso ser seletivo e cuidadoso na hora de criar uma conta por lá. 

Eis alguns erros comuns que você deve evitar, caso queira usar o GitHub a seu favor na hora de conseguir um novo emprego:

  • Excesso de repositórios;
  • Compartilhamento de qualquer coisa;
  • Descrições imprecisas ou ausentes;
  • Repositórios muito antigos;
  • Conteúdo tecnicamente obsoleto;
  • Códigos medíocres.

Querendo ou não, o portfólio é o seu cartão de visitas. Ele demonstra como você está gastando o seu tempo.

Portanto, identifique os projetos mais relevantes, aplique soluções interessantes e publique algo realmente bom, com um código elegante, performático, apropriadamente descrito e testado.

Em outras palavras, divulgue no seu portfólio algo que todo mundo gostaria de ver. Aqui, qualidade vale muito mais que quantidade!

Como ser encontrado pelas melhores empresas

Agora que você deu uma olhadinha em diferentes modelos de currículo, já entendeu a lógica e sabe na prática como montar um currículo de programador realmente bom, certo?

Mas há mais uma coisa que não falamos até agora e que você precisa saber antes de ir: existe um meio ainda mais eficaz de chamar a atenção dos recrutadores!

Ao invés de ir atrás das empresas na busca por uma vaga como programador, você pode fazer parte de um marketplace de recrutamento para que elas encontrem o seu perfil de forma ativa.

Na plataforma da GeekHunter há mais de 4.500 empresas, neste exato momento, contratando desenvolvedores de software dos mais diversos níveis de senioridade e com conhecimento em diferentes tecnologias por meio do nosso banco de talentos.

E o melhor de tudo é que, para programadores e desenvolvedores, a criação de conta na plataforma não tem custo nenhum: basta acessar o site e criar o seu perfil de forma gratuita para que as empresas consigam te encontrar e comecem a convidá-lo para processos seletivos! 

Ao se cadastrar, é possível ainda garantir a privacidade. Assim, você só receberá vagas alinhadas com o seu perfil, sem que empresas que não são do seu interesse saibam que você utiliza a plataforma.

E aí, bora criar seu perfil grátis na GeekHunter agora mesmo e encontrar o emprego dos sonhos?

cadastro-geekhunter-cta
Compartilhar
You May Also Like